Universitários em missão “cá dentro"

RR online 08 Fev, 2016 - 09:10 • Ângela Roque

Chama-se “Missão País” e é um projecto criado em 2003 por estudantes católicos que queriam poder falar de Deus na Universidade e mostrar como se vive a fé em acções de caridade e de serviço aos outros. A primeira missão mobilizou 20 jovens, há 13 anos. Hoje, são 2.500 a participar.

Todos os anos, por esta altura, jovens universitários portugueses partem em missão “cá dentro”. Aproveitam a pausa entre o primeiro e o segundo semestre de aulas para dar testemunho da sua fé. Cada faculdade escolhe um local onde, ao longo de uma semana, os estudantes se disponibilizam a ajudar o outro, no que for preciso, numa missão que é muito mais do que simples voluntariado e na qual a oração está sempre presente. A ideia é a de que, quando a missão acaba, cada participante se sinta desafiado a continuar a viver a sua fé de uma forma mais comprometida no dia-a-dia.
Mariana Frazão, de 23 anos, é uma das responsáveis nacionais da “Missão País”. É aluna de mestrado na Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa, onde tudo começou, há 13 anos. “Um grupo de estudantes queria levar Jesus para a faculdade. Sendo uma parte tão importante da vida deles, queriam poder falar de Deus abertamente”, recorda. Foi, então, criado o projecto e a primeira missão teve por palco em Coruche, com a participação de 20 estudantes.
Mariana reconhece que, em contexto universitário, nem sempre é fácil aos jovens assumirem-se como católicos, mas este projecto prova que é possível: “O crescimento tem sido exponencial. Só este ano, temos 2.500 estudantes envolvidos.”
Catarina Afra Rosa, de 21 anos, coordena a “Missão País” em Lisboa. Aluna do 1.º ano de mestrado na Faculdade de Agronomia, já nota diferenças: “Quando eu entrei, havia missões há poucos anos, e a primeira que fiz não tinha muitas pessoas. Hoje, somos 60 missionários, só de Agronomia”.
Catarina garante que a experiência fortalece as relações entre colegas e, por isso, as missões são organizadas por faculdade. Não é obrigatório ser católico, mas quem vai sabe que esta é a marca. “É um projecto católico, essa é a nossa identidade. Na semana de missão, estamos identificados com uma t-shirt que tem sempre uma cruz. Porque é importante que toda a gente perceba que somos uma missão católica, não somos um grupo de voluntários, somos um grupo de missionários. Mas qualquer pessoa pode fazer a ‘Missão País’”, relata.
A escolha do local do trabalho é feita por cada faculdade. Mariana Frazão diz que “é preciso contactar previamente a paróquia e a autarquia, para saber as necessidades locais e onde podem missionar”. Catarina explica que as missões decorrem sempre nesta altura do ano porque “coincide com as férias de cada faculdade e o.objectivo é que ninguém falte às aulas”.
Mariana assegura que a dimensão da fé nunca é esquecida. “Costumamos dizer que a’Missão País’ é ‘voluntariado + oração’, porque conseguimos, numa semana, ter três vertentes - a missão externa, em que, como missionários, estamos a fazer voluntariado; a missão interna, em que estamos com o grupo de missionários a viver esta dimensão espiritual, temos oração da manhã, missa diária, oração da noite, vigília; e, depois, há também a missão pessoal, e é giro ver como este projecto nos transforma, tanto a nível de grupo como a nível pessoal, interior. É uma semana muito forte", conta a estudante de Economia.
As duas responsáveis sublinham ainda a importância que o pós-missão tem tido em cada faculdade. “Temos conseguido dar uma continuidade às missões, criando desde núcleos católicos a outros projectos, que acabam por aproximar mais pessoas da faculdade. Muitos até não fazem missão, mas participam nesses outros projectos”, diz Mariana Frazão. Catarina, por sua vez, lembra que “já há muitas propostas de voluntariado para os jovens, até católicas, mas a ‘Missão País’ consegue reunir muita coisa” e também ser mobilizadora: “Vivemos muito o culto do 'eu'. Em exames, pensamos muito só em nós e nesta semana vivemos só para os outros. E é importante isso ser vivido em conjunto com colegas da mesma faculdade."
A divulgação do projecto acontece muito pelo contacto pessoal entre os alunos, entre quem já fez missão e quem está interessado, mas todas as informações sobre inscrições, locais e datas, e até equipas responsáveis, podem ser encontradas na página do Facebook e no site do projecto, onde é possível ver o vídeo do hino da Missão deste ano, que tem o tema “Alegra-te, foste encontrado”.
Catarina Afra Rosa foi este ano em missão para a Sertã, e Mariana Frazão para Ferreira do Zêzere. A conversa com as duas responsáveis foi um dos destaques do programa “Princípio e Fim”, deste domingo.
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Sou mãe de um forcado. E agora?

Suécia persegue parteiras que se negam a praticar abortos

Gomes-Pedro: “A mãe não precisa de descansar e dormir, precisa é de namorar com o seu bebé”