26 de Dezembro – Sto Estevão


O irmão entregará à morte o irmão e o pai entregará o filho. Os filhos hão de erguer-se contra os pais e causar-lhes a morte.
E sereis odiados por todos por causa do meu nome. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo
Mt 10,22

Sempre me causou perplexidade e estranheza que, mal acabado o dia de Natal, a Igreja celebre o primeiro mártir. Como que, calando a alegria do nascimento do Salvador com a dura realidade da vida. É, talvez, por isso, que o Evangelho de hoje nos fala da maior das contradições. A seguir ao dia da reunião familiar por excelência, Jesus avisa-nos da divisão na família e, mais impressionante ainda, coloca-se como o motivo da desavença.
O Senhor da Paz que conseguiu o milagre da trégua espontânea de Natal, há 100 anos na I Grande Guerra será sempre motivo de contradição.
Há, porém, uma promessa, "aquele que preserverar até ao fim sera salvo", isto é, como nos diz Julian Carrón,  aquele que deixa começar em si  "[...] uma revolução da pessoa, da sua forma de se conceber [...] sem preconceito, sem pôr a salvo qualquer coisa primeiro
Que o nosso Natal seja este tempo de conversão pessoal
Um abraço do
Pedro Aguair Pinto

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Se eu fosse filmado secretamente...

16 de Julho - Nossa Senhora do Carmo

OS JOVENS DE HOJE segundo Sócrates