Presença maior

Aura Miguel
RR online 2012-03-30

Milhares de fiéis aderiram com entusiasmo à mais recente visita do Papa. Marcaram presença ao longo das ruas e nas celebrações de maneira participativa.
Até agora, México e Cuba eram dois países profundamente ligados às históricas viagens de João Paulo II. Não seria, pois, de espantar se o acolhimento ao novo Papa tivesse sido menos caloroso. Mas não: Bento XVI – apesar de mais velho e menos carismático – foi também recebido de braços abertos, tal como aconteceu com João Paulo II.
E este é o ponto. É que, na verdade, quer um quer outro foram ao México e a Cuba em nome de Cristo, o Senhor da História.
Por isso, o acontecimento da sua presença é independente da idade ou maneira de ser, porque remete para outra presença ainda maior. Que os mexicanos e os cubanos souberam reconhecer.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Se eu fosse filmado secretamente...

16 de Julho - Nossa Senhora do Carmo

A família, espaço de resistência