Procurar conhecer o Cardeal George Pell, Arcebispo de Sidney



As viagens do Papa têm uma importância enorme para o destino da Igreja no mundo; têm, para nós, como efeito colateral, despertar a curiosidade para o conhecimento das múltiplas experiências de Igreja em diferentes ambientes e países.


Na Austrália, a personalidade de Igreja mais eminente é o Cardeal George Pell, de 67 anos, que tem tido uma proeminência significativa não apenas no debate religioso, moral e ecuménico, mas também, uma intervenção firme em assuntos do mundo.


A sua posição firme e contra-corrente, denunciando manifestações de paganismo associadas à histeria ambientalista, é particularmente conhecida no meio ligado ao ambiente e vale a pena saber que à Igreja interessa tudo aquilo que interessa ao homem. Pedro Aguiar Pinto



Cardeal George Pell, Arcebispo de Sidney


O Cardeal George Pell levantou uma onda de críticas, particularmente da Senadora Christine Milne do partido político d’os Verdes com o seguinte comentário no seu discurso à Cimeira 2006 Legatus, Florida, EUA:


Algumas afirmações histéricas e extremistas sobre o aquecimento global são também um sintoma de vazio pagão [1], do medo ocidental quando confrontado pelas forças imensas e basicamente não controláveis da natureza. Acreditar num Deus benigno, Senhor do Universo tem um efeito de estabilidade psicológica , embora não seja garantia da Utopia, nenhuma garantia de que as continuadas mudanças climáticas e geográficas sejam benignas. No passado, os pagãos sacrificavam animais e mesmo humanos em tentativas vãs de aplacar os deuses caprichosos e cruéis. Hoje exigem a redução das emissões de dióxido de carbono.[2]


Respondendo a George Browning, um ambientalista anglicano:


Os ambientalistas radicais são mais do que capazes de moralizar a sua própria agenda e de a impor às pessoas pelo medo. Não precisam de líderes religiosos para os ajudar nisso, embora seja um meio muito efectivo de emudecer ainda mais o testemunho cristão. Os líderes religiosos em particular deveriam ser alérgicos ao disparate.[3]


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tentar perceber

Uma companhia criativa

OS JOVENS DE HOJE segundo Sócrates