Papa aponta problemas do mundo actual, RR on-line, 080717 10:00

O Papa denunciou, esta manhã, perante uma plateia de milhares de jovens, a exaltação da violência na sociedade actual e identificou a protecção do ambiente como uma das preocupações de vital importância para a humanidade.
Foram os temas que marcaram o primeiro discurso de Bento XVI na Jornada Mundial da Juventude, em Sidney, na Austrália. O mundo sofre com várias feridas – diagnosticou o Papa: no ambiente, a seca e o desperdício de recursos minerais e marítimos, vítimas do consumo desmesurado da sociedade. No entanto, o Santo Padre referiu-se a feridas não menos graves, que afectam directamente as pessoas: “Os exemplos abundam, como bem sabeis. Os mais evidentes são o abuso do álcool e das drogas, a exaltação da violência e a degradação sexual, tantas vezes apresentadas pela televisão e pela internet como «divertimento». Pergunto a mim mesmo, como poderá alguém encarar face a face pessoas que sofrem realmente com a violência e exploração sexual e dizer-lhes que estas tragédias, representadas de forma virtual, são consideradas um «divertimento»?”O efeito sinistro do relativismo e as confusões entre liberdade e tolerância, desgarradas da Verdade, foram alertas deixados pelo Papa, que exortou os jovens a “não se deixar enganar por aqueles que vos vêem apenas como consumidores de um mercado de possibilidades indiferenciadas, onde a escolha se transforma em bem, a novidade se contrapõe à beleza e a experiência subjectiva suplanta a verdade”. “Cristo oferece mais!” – frisou Bento XVI. “Aliás, oferece tudo! Só Ele, que é a Verdade, pode ser o Caminho e, portanto, também a Vida.”“A vida não é um mero suceder-se de factos e de experiências, por muitos úteis que sejam. É uma busca de Verdade, de Bem e do Belo. E, para alcançar tal fim, fazemos opções, exercemos a nossa liberdade e é nisto, ou seja, na Verdade, no Bem e no Belo, que encontramos a felicidade e a alegria”. Neste contexto, Bento XVI sublinhou também o valor intrínseco e a dignidade inviolável de cada ser humano, ao dizer que “as preocupações pela não-violência, pelo desenvolvimento sustentável, pela justiça e paz e defesa do ambiente são de vital importância para a Humanidade. Mas isto só pode ser entendido se fizermos uma profunda reflexão sobre o valor intrínseco da dignidade de cada vida humana, desde a concepção até à morte natural: dignidade conferida pelo próprio Deus e, por isso, inviolável”.Antes do primeiro discurso de Bento XVI perante os jovens, em Sidney, foi tempo de saudações. O português ouviu-se, na Austrália: “Queridos amigos de língua portuguesa. A todos saúdo com afecto, os de perto e os de longe. É com grande alegria que o Papa vos acolhe para vos confirmar como testemunhas de Jesus, por Ele acreditadas como dom do Seu próprio Espírito”.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tentar perceber

Uma companhia criativa

OS JOVENS DE HOJE segundo Sócrates