472º aniversário da Companhia de Jesus

Na Companhia de Jesus, a data de hoje é uma daquelas que, para todos os efeitos, é considerada fundacional, pois foi neste dia (27 de Setembro) de 1540, ou seja, há 472 anos que a Ordem Religiosa a que pertenço, a Companhia de Jesus, foi oficialmente aprovada pelo Papa Paulo III, dando-se então início a esta secular e providencial aventura no Espírito de Servir a Igreja e a Humanidade em União com Cristo e a Sua Missão de Salvação, Missão esta a que, ao longo destes quase 500 anos de história, com os seus altos e os seus baixos, as suas virtudes e as suas quebras, mas sobretudo com a admirável, e sempre surpreendente Graça de Deus, os membros da Companhia de Jesus, cada um a seu modo, têm dedicado, pela Graça que só Deus dá, o melhor das suas vidas e da sua acção, oferta e oblação feita sempre em comunhão com a Igreja e com tantos homens e mulheres que, directa ou indirectamente, mais de perto ou mais ao longe, sempre participam, no passado como agora, na missão apostólica que é a da Companhia de Jesus. 
Por outras palavras, hoje é o dia em que, literalmente, como Instituição dentro da Igreja, nasceu a Companhia de Jesus, cabendo aos Jesuítas de hoje celebrar, pelo menos interiormente, esta Graça extraordinária de poder pertencer a um corpo apostólico, radicalmente histórico e contudo radicado em Deus e na Sua vontade, a passagem dos primeiros 472 anos da nossa história, sendo que desta fazem parte grandes feitos de Santidade e de Serviço ao Reino, mas também os anos em que, por graves incompreensões de muitos, entre eles o “nosso” Marquês de Pombal, a Companhia de Jesus, sem nunca ter deixado de existir graças às maravilhas da Providência divina, deixou contudo de ter "existência oficial" na Igreja entre 1773 e 1814. A data de hoje, para todos os efeitos, não nos pode senão encher de gratidão, e fazer-nos redobrar na responsabilidade histórica de sabermos que a Missão da Companhia ao Serviço da Igreja e para a Maior Glória de Deus, não é coisa já feita, mas Obra a continuar; de facto, empreendimento que está sempre a pontos de começar.
A Companhia de Jesus, aprovada por Júlio III a 27 de Setembro de 1540, continua ainda hoje a ser (e ai dela se não o é!) uma instituição apostólica "geneticamente" associada ao Papado, carismaticamente ao Serviço da Igreja, espiritualmente centrada no "ser-de-Cristo", radicalmente empenhada no Maior e mais Global Serviço do Reino a partir de ponto de difusão universal que, desde 1540, é este: Roma. Neste caso, porém, com um qualificativo que não posso deixar de mencionar, e que é este: o centro de irradiação é suposto estar em toda a parte, ou seja, ali onde quer que haja um coração disponível para o Serviço segundo a inspiração e a dinâmica ínsita aos Exercícios Espirituais!

Pe. João Vila-Chã Facebook, 2012-09-27

Comentários

Mensagens populares deste blogue

OS JOVENS DE HOJE segundo Sócrates

O TÚMULO VAZIO

Tentar perceber