Em Castanheira de Pêra

MARTA CALADO     27.06.17


Viemos de Castanheira de Pêra um bocado tristes pela destruição de vidas (as que já foram e as que ficaram sem nada)  e também da nossa querida natureza. 



Fomos a Vila Facaia e os seus habitantes são um exemplo de por confiarem na providência que a todos nos quer bem, Esperança porque ao estarem vivos não deixam de dar valor à sua própria vida, como dizia a Sra. de 84 anos, preciso de ir a Fátima agradecer ter sido salva, e Caridade porque não se pode não ajudar, o nosso coração é como que agarrado pelo flagelo de há uma semana. 

A prova disso são os bombeiros que já tendo apagado os fogos trabalham incansavelmente ao serviço da comunidade recebendo os voluntários dando lhes alimentação e dormida mesmo com os seus colegas internados em risco de vida. 

Não podemos não estar agarrados ao que aconteceu no nosso Portugal e foi isso que nos levou ir lá... 

Tenho muito mais para contar, por exemplo o trabalho espetacular dos médicos do mundo onde trabalhamos.

Marta Calado
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Sou mãe de um forcado. E agora?

O grande educador sexual

Suécia persegue parteiras que se negam a praticar abortos