domingo, 10 de julho de 2016

Religião e futebol

Eduardo Cintra Torres | Correio da manhã | 10.07.2016 

O desprezo pelo catolicismo é uma herança do jacobinismo. 

Muitas pessoas desdenham da religiosidade de Fernando Santos. Católico praticante, não esconde a sua fé, mas também não a alardeia. É a sua. O desprezo pelo catolicismo é uma herança do jacobinismo e da influência maçónica no país desde há um século. Tem imenso poder mediático e político. Muitos que exprimem, conscientes ou não, este desprezo são os mesmos que elevam o futebol ao estatuto de quase-religião. Por exemplo, têm fé, esperança e caridade pela Selecção, mas não lhes passa pela cabeça estarem a mimetizar as três virtudes teologais do catolicismo. Há muitas outras manifestações da "religião profana" do futebol. Esta quase-religião é respeitável, mas denuncia em si mesma a irracionalidade dos ataques à religião verdadeira dos outros.
Enviar um comentário