terça-feira, 12 de julho de 2016

Vitória “faz bem à alma portuguesa”


Patriarcado de Lisboa, 2016.07.12

D. Manuel Clemente ficou sensibilizado com o testemunho de fé de Fernando Santos e realçou a importância simbólica do futebol, sem esquecer também as vitórias do atletismo de domingo.

O patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, saudou esta segunda-feira a vitória de Portugal no Euro 2016, que “deixa-nos todos vitoriosos, porque naquela selecção íamos nós todos”. O cardeal diz que ficou impressionado com o esforço quase “sobre-humano” dos atletas, mas não deixou de salientar também a equipa técnica. “Depois uma grande admiração também pela equipa técnica que os acompanhou, em especial pelo treinador, que com a sua serenidade, consistência pessoal e também psicológica, em grande parte fez esta selecção”.

Na conferência de imprensa de domingo à noite, depois do jogo, Fernando Santos leu uma carta que tinha escrito há várias semanas, depois do jogo contra a Áustria, que terminou empatado a zero. Nessa carta o treinador fez uma emocionante proclamação de fé, terminando com o apelo a que tudo o que fez seja “para glória de Jesus Cristo”. Este foi um acto que tocou D. Manuel. “Ele já estava certo do resultado e essa certeza vem muito de dentro e passou para a equipa e levou a muito bom resultado, com muita dignidade, com muita cortesia, sem nenhuma sobreposição a ninguém. Foi muito bonito, as suas declarações, de uma grande educação que cai muito bem neste mundo desportivo”, diz, “sobretudo porque é dito tão naturalmente, nada daquilo soa a forçado, exprime uma vivência própria dele. Bate certo e é incontestável. Faz-nos bem.”

O patriarca, que é também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, salientou ainda a importância simbólica do futebol hoje em dia. “É um bocadinho como os torneios, em que em vez de se confrontarem países inteiros escolhiam os seus cavaleiros. Hoje não tem esse sentido bélico, mas tem esse sentido de representação, naquelas pessoas vai um povo inteiro, é uma maneira de escoar sentimentos que vêm ao de cima, exactamente aqueles que fazem de nós um povo”, concluindo que “tudo isto faz-nos bem à alma portuguesa.”

Por fim, D. Manuel Clemente não deixou de “saudar e gabar as recentes vitórias portuguesas no atletismo”, em referência às medalhas de ouro e de bronze ganhas no campeonato europeu de atletismo, em Amesterdão.
Enviar um comentário