terça-feira, 12 de julho de 2016

O desejo de felicidade e o futebol

POVO 12.17.16 
A alegria que Portugal inteiro viveu ontem na sequência da vitória no Euro 2016 da selecção nacional é o motivo de muitos artigos que ontem e hoje procuram interpretar as razões deste contentamento. Bruno Vieira Amaral começa por nos desafiar a indagar as causas da felicidade humana, adiantando que iremos descobrir, "espantados, a preponderância dos pequenos nadas, dos gatilhos insignificantes". Esta correspondência entre acontecimento e desejo transparece igualmente da frase de D. Manuel Clemente quando diz que estas vitórias "fazem bem à alma portuguesa". A felicidade é individual mas tem também esta dimensão comunitária que Daniel Oliveira identifica com sentido de pertença, patriotismo.
E a nós, o que fica desta alegria que sem ser ajuizada, se esvanece no tempo?
Graça Franco A França é a França e Portugal é maior sugere que os golos fazem mais por nós do que os discursos, mas o que eu gostaria de propor à nossa reflexão é a simplicidade do trabalho quotidiano que com persistência se transforma em vitória como sugere Alexandre Homem Cristo Estudar para ser campeão europeu e finalmente, o testemunho impressionante do "mister" que em primeiro lugar responde a Deus. Fernando Santos e a questão de Deus (entrevista de 18 de Novembro na Capaela do Rato, por Maria João Avillez)
Enviar um comentário