Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2014

O 25 de Abril e a economia

Imagem
Pedro Braz Teixeira | ionline 2014-04-30
O 25 de Abril trouxe fortes perturbações à economia e agravou o choque petrolífero de 1973
O 25 de Abril de 1974 ocorreu num momento económico particularmente azarado. Em Agosto de 1971, o presidente dos EUA, Nixon, tinha declarado a fim da convertibilidade do dólar em ouro, pondo um ponto final no sistema monetário de Bretton Woods, criado em 1944. Quase três décadas de câmbios fixos chegavam ao fim, bem como a estabilidade que este sistema tinha trazido. Mais grave do que isso, o choque petrolífero de Outubro de 1973 ajudou a pôr termo a um período de ouro de crescimento, que seria seguido pela grande inflação dos anos 70. A redução do potencial de crescimento que se lhe seguiu, por toda a Europa, travou a forte emigração portuguesa dos anos 60, que tinha sido uma importante válvula de escape da nossa economia, bem como uma muito significativa fonte de rendimentos. Pode-se tentar despejar sobre o choque petrolífero de 1973 muitos problemas de…

A vocação do líder empresarial - Cardeal Peter Turkson

Imagem
Inscrições aqui

A genealogia da liberdade

Sol, 30 de Abril, 2014 Jaime Nogueira Pinto
Acho que sobrevivi à vaga celebrativa dos '40 anos' que quer fazer do golpe de Estado do MFA e da balbúrdia que se lhe seguiu uma espécie de nova Revolução Francesa de gloriosas proporções. Para alguns - pasme-se - o maior acontecimento da história de Portugal! Talvez porque o estado crítico do país não justifique celebrações, os partidários e simpatizantes de Abril esforçaram-se ainda mais por enaltecer-lhe os méritos: além de demonizarem o 'fascismo', procuraram exaltar os sucessos da III República, que só não irá tão bem - é a mensagem subliminar ou expressa - por causa da austeridade imposta pelos 'governos de direita', oportunamente assimilados ao 'fascismo', derrubado há 40 anos. Além de não se poder abrir uma gazeta sem deparar com legiões de antifascistas das mais legítimas e variadas cepas e com uma vaga editorial requentada de petite histoire revolucionária, alguns capitães ressuscitaram dos almoços da…

O abraço dos papas

Imagem
Foto © REUTERS/Osservatore Romano O Papa Francisco abraça o Papa Emérito Bento XVI durante a missa, em Roma, antes da cerimónia de canonização de João XXIII e João Paulo II.

Adiada votação do projecto sobre barrigas de aluguer

Imagem
PÚBLICO 30/04/2014 - 07:54 PS e PSD pediram estudo de Direito comparado. A actual legislação proíbe a maternidade de substituição JOÃO GUILHERME Afinal ainda não é nesta quarta-feira que a Comissão de Saúde da Assembleia da República votará uma proposta conjunta do PSD e PS para legalizar as chamadas barrigas de aluguer. O deputado social-democrata Miguel Santos disse à TSF que os dois grupos parlamentares continuam com dúvidas e pediram um estudo de Direito comparado, para ver que soluções foram implementadas noutros países. O grupo de trabalho parlamentar, que tem estado a analisar o tema, voltou a reunir-se na terça-feira e ainda não chegou a consenso. O processo legislativo sobre a maternidade de substituição, conhecida como "barrigas de aluguer", arrasta-se há algum tempo. Em Janeiro de 2012 entraram no Parlamento dois projectos de lei, um do Partido Socialista, outro do Partido Social Democrata, que pretendem legalizar a maternidade de substituição, uma prática que é pro…

Direitos do nascituro

Os pais que fazem um "business plan" para os filhos

Henrique Raposo Expresso, 29 de abril de 2014 No estado de Nova Iorque, uma creche cancelou uma peça de teatro dos alunos invocando o seguinte argumento: nós estamos aqui para preparar as crianças para a sua carreira e não para brincadeirinhas teatrais. Numa carta assinada pelo director e quatro educadoras, a Harley Avenue Primary School (Elwood, NY) informou que o espectáculo marcado para 14 e 15 de Maio foi cancelado porque os alunos têm de continuar a trabalhar para que fiquem prontos para a "universidade e carreira". Repare-se que não estamos a falar de jovens de 16 anos, mas de crianças. A inocência está pela hora da morte.

Esta brutalidade executiva é chocante, mas obedece a uma mentalidade vigente em muitos papás de lá e de cá. Já repararam que as crianças já não podem ser crianças? Já repararam que, além da escola, elas têm o dia preenchido com actividades destinadas à construção do seu futuro profissional? É como se estivessem a cumprir um business plan cuidadosament…

Barrigas de aluguer, não!

Imagem
PETIÇÃO DIRIGIDA A: EXCELENTÍSSIMOS SENHORES/AS DEPUTADOS/AS Excelentíssimos Senhores/as Deputados/as: "BARRIGAS DE ALUGUER", NÃO!



01.000 662 662 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 1.000assinaturas.
Assine aqui!  1464 assinaturas a 3 de Maio
                   1624 assinaturas a 5 de Maio
                   1707 assinaturas a 9 de Maio
                   1758 assinaturas a 10 de Maio

Graça Moura e alguns desconfortos comuns

Daniel Oliveira Expresso on-line, 29 de abril de 2014
Vasco Graça Moura era mais do que inteligente e culto. Ao contrário do que se costuma pensar, há muitas pessoas inteligentes, muitas pessoas cultas e algumas pessoas inteligentes e cultas. Para além de poeta, dramaturgo e ensaísta, será recordado como um extraordinário tradutor, o que está muito longe de ser uma qualidade menor. Só alguém muito seguro das suas capacidades pode ousar traduzir Petrarca, Shakespeare e Molière. Essa confiança tem de estar nos píncaros para traduzir a Divina Comédia. E só alguém que não se enganou na avaliação que faz de si mesmo se pode sair bem. Resumindo: Graça Moura estava entre os mais multifacetados e eruditos intelectuais portugueses. Num momento de elogio, a escritora Maria Teresa Horta, amiga de Graça Moura e mulher de esquerda, declarou que era "inexplicável que um homem como o Vasco fosse de direita". Para a escritora, o posicionamento ideológico de Graça Moura "era contranatura

Jurista diz que “barrigas de aluguer” vão contra interesse da criança

RR on-line 29-04-2014 10:29 Lei regulamentaria a prática de pedir a uma mulher que engravide e leve a termo a gestação de um bebé que será posteriormente dado a outra mulher ou a um casal.
A legalização da "gestação de substituição", conhecida informalmente como "barrigas de aluguer", representa uma instrumentalização da vida humana e não tem em conta o superior interesse da criança, considera um jurista, especializado em assuntos da família. 
Diogo Costa Gonçalves considera que uma criança nunca deve ser encarada como um projecto de realização pessoal: "Sempre que um embrião se torna não um bem em si mesmo mas um projecto de realização de alguém e em função de alguém, estamos a instrumentalizar a vida humana". 
"O superior interesse da criança não se coloca quando aquilo que se está a colocar é o direito a uma maternidade ou paternidade, mesmo contra as circunstâncias biológicas ou interpessoais das pessoas. Isto é completamente contrário ao superior…

“Um ser humano”

RUI TABARRA E CASTRO, ADVOGADO NA F. CASTELO BRANCO & ASSOCIADOS OJE | 2014/04/29 20H29 No passado dia 3 de abril de 2014, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) proferiu, por unanimidade, um acórdão que assume particular relevo no âmbito da discussão acerca dos direitos dos nascituros.
A questão suscitada perante o coletivo de juízes prendia-se com a suscetibilidade de dois irmãos terem tratamento jurídico diferenciado na atribuição de uma compensação por danos não patrimoniais próprios decorrentes da morte do seu pai, pela circunstância de um deles, à data do óbito do pai, não ter ainda nascido. Entendeu o STJ que a diferença de tratamento "viola o direito constitucional da igualdade" e "repugna ao mais elementar sentido de justiça". O Tribunal vai mais longe, afirmando que "o reconhecimento da personalidade de seres humanos está fora do alcance e da competência da lei", qualquer que seja a sua natureza, não sendo o nascituro "uma simples massa org…

Um dia de cada vez

Inquérito no DN sobre barrigas de aluguer