Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2013

Febre

DESTAK | 30 | 01 | 2013   22.42H
João César das Neves | naohaalmocosgratis@ucp.pt Portugal colocou com sucesso uma emissão de dívida a cinco anos no mercado. Este tinha sido o sintoma a deflagrar a crise em abril de 2011, quando os mercados se fecharam à dívida pública portuguesa. Por acaso isso acontecera realmente mais de um ano antes, só que o Governo tinha conseguido disfarçar, impingindo dívida pública aos bancos nacionais. 
É espantoso notar que no final de 2009 as dívidas do Estado eram em 73% compostas por títulos e obrigações e apenas 11% em empréstimos. Nos últimos dados dos fins de 2012 essas percentagens são 50% e 39% respetivamente. Este é o efeito da crise.
E agora? Agora nada! Portugal está como um doente cuja febre alta o levou ao hospital, e quando lá chegou, foi-lhe diagnosticado um cancro. Ao fim de alguns dias, graças aos analgésicos, a febre conseguiu baixar, eliminando o sintoma que tinha motivado a ida ao médico. 
Foi isso que aconteceu quando voltámos aos merc…

Entrada para o recinto da Basílica do Santo Sepulcro

Imagem

Capela dos Cruzados no Santo Sepulcro

Imagem

Santos do dia do mês de Janeiro (...)

Rocha do Gólgota

Imagem

Via dolorosa

Imagem

Mapa de Jerusalém

Imagem

15.ª Catequese do Ano da Fé - Creio em Deus-Pai Todo Poderoso

Henrique Leitão entra para clube restrito de historiadores de ciência

Imagem
Teresa Firmino Público 30/01/2013 - 10:52 Eleição para Academia Internacional de História das Ciências põe fim a mais de meio século sem que um historiador português tenha tido esta distinção.

Há mais de 50 anos que nenhum português era eleito membro efectivo da Academia Internacional de História das Ciências, com sede em Paris. Essa ausência foi colmatada agora, com a entrada, para esse clube restrito de historiadores de ciência, de Henrique Leitão, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), noticiou o site desta instituição.
Aos 48 anos, Henrique Leitão, que começou por se doutorar em Física em 1998 na FCUL e depois se mudou para a História da Ciência, tem no currículo a autoria e edição de mais de 15 livros. A coordenação científica da publicação das obras de Pedro Nunes – iniciada em 2002, quando se comemoraram os 500 anos do nascimento do matemático – é uma das suas principais ocupações. Desde 2002 que a História da Ciência o ocupa a tempo inteiro.

Já estão publi…

Igreja da Agonia - Getsemani

Imagem
Vigiai e orai para não cairdes em tentação

Jerusalém ao fim da tarde vista do Dominus Flevit

Imagem

Dominus Flevit

Imagem

Gruta de Getsemani, dos apóstolos ou da traição

Imagem

Cenáculo

Imagem
Fazei isto em memória de Mim

Basílica da Dormição

Imagem

Muro ocidental do Templo - Jerusalém

Imagem
Não ficará pedra sobre pedra

Nossa Senhora do Muro

Imagem
Ícone da Mãe da Igreja pintado no muro de separação entre Belém e Jerusalém

Igreja da Natividade - gruta de S. José

Imagem
Gloria in excelsis Deum

Igreja da Visitação

Imagem
Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre, Jesus

Igreja de S. João Baptista

Imagem
Bendito o Senhor Deus de Israel
Que visitou e redimiu o Seu Povo

Jerusalém no ano 70 dC

Imagem

Educar a confiança

JOÃO CÉSAR DAS NEVES DN, 28 janeiro 2013
A confiança é uma das coisas mais frágeis, mais belas e mais indispensáveis da vida. É tão difícil ganhar a confiança! É tão fácil perder a confiança! É tão necessário ter confiança! Uma relação sólida entre duas pessoas, dentro de um grupo ou, melhor, em todo um povo, é algo maravilhoso e precioso. Só que uma vez quebrada, dificilmente recupera.
Vivemos neste momento, em Portugal e no mundo, um episódio de ruptura da confiança. Os sistemas em que nos baseávamos, as promessas que nos fizeram, as decisões que tomámos, as esperanças que tínhamos foram abalados. A cada passo vemos pessoas desiludidas, desanimadas, ofendidas, enfurecidas. Não é preciso perguntar porquê.
Tudo isto é compreensível e natural e repetiu-se ao longo da história. Hoje notamo-lo mais, precisamente porque nos últimos tempos estas crises são menos frequentes, o que torna cada uma mais notória. Antes eram habituais. O surpreendente sempre não é que aconteçam, mas que sejam ra…

Jerusalém - Muro das lamentações

Imagem

Jerusalém - Porta de Sião

Imagem

Os nossos passos se detêm às tuas portas Jerusalém

Imagem

Deserto da Judeia

Imagem
Jesus foi conduzido ao deserto pelo Espírito

Baptismo de Jesus

Imagem
Este é o Meu Filho muito amado em Quem pus toda a Minha complacência

Multiplicação dos pães e dos peixes

Imagem

Apascenta as minhas ovelhas

Imagem

Tabgha - Lugar do Primado de Pedro

Imagem
Tu amas-Me?

A pergunta central da moral cristã

Descida ao longo do Jordão

Imagem

Monte das bem-aventuranças

Imagem
Bem-aventurados os pobres em espírito porque deles é o reino dos céus

Lago de Genesaré, ou de Tiberíades ou ainda mar da Galileia

Imagem
Entrando num barco, Jesus passou para a outra margem do lago

Sinagoga de Cafarnaum

Imagem
Eu sou o pão que desceu do Céu

Cesareia de Filipe (Banias)

Imagem
E vós quem dizeis que Eu sou?

Ao longo da grande falha sírio-africana

Imagem

Monte Tabor

Imagem

Monte do Precipício

Imagem

Basílica da Encarnação (Nazaré)

Imagem
Aqui o Céu entrou na terra. O divino entrou no humano

Sobre os sacrifícios

Inês Teotónio Pereira , i-online em 26 Jan 2013

Os meninos não querem nem saber e nunca irão agradecer o esforçoe o sacrifício dos pais para conseguirem "o melhor" para os filhos


Os pais têm a mania bastante irritante de fazer sacrifícios pelos filhos. Desde o dia em que eles nascem que os pais se transformam em sacrificados, em mártires mesmo. E muito mais sacrificados ou mártires que um santo na altura da Quaresma. É que nós os pais não nos ficamos por sacrifícios pequeninos, como deixar de fumar ou deixar de comer doces. Fazemos muito mais do que isso e não o fazemos apenas durante 40 dias mas durante uma vida inteira. Os pais, mal os filhos nascem, fazem sacrifícios como deixar de dormir, de comer como deve ser, de se divertirem, de saírem, de viajarem, de ter sossego, de lerem, etc. Transformam-se numa espécie de sacerdotes dos filhos.
Tudo bem, são opções, apesar de me parecerem genericamente excessivas. Mas o pior é que mais cedo ou mais tarde vem a cobrança: "…

Viva a Pepa!

Imagem
Gonçalo Portocarrero de Almada, i-online em 26 Jan 2013 Quando a Pepa decidiu publicar na blogosfera algumas impressões sobre 2012 e os seus desejos para o novo ano, meio mundo sentiu-se indignado.
Não conheço a protagonista das controversas declarações e que é certamente uma óptima pessoa. Mas esta sua prestação foi deveras caricata. Que alguém confidencie publicamente umas quantas banalidades é, com efeito, censurável. A sua própria inconsciência em relação às previsíveis consequências desta sua futilidade é também significativa. Como digna de reparo, a sua aparente insensibilidade social, expressiva da vacuidade ética que abunda entre muita gente miúda e graúda. De todos os modos, sem querer justificar o injustificável, nem assumir a defesa oficiosa da infeliz jovem, cuja reputação não está em causa, importa sublinhar que o seu discurso, não obstante a sua ligeireza, é muito mais potável do que o palavreado de muito boa gente, mais ou menos intelectual, que por aí pontifica impunement…

Somos pobres entre pobres

Imagem
José Luís Nunes Martins, i-online em 26 Jan 2013
"Embora alguns, trocando o real pelo aparente, julguem que têm mais valor do que aqueles que lhes pedem esmola"
; Grande é a riqueza daquele que abdicou do desnecessário. A verdadeira pobreza talvez seja a dependência que tanta gente tem em relação às suas coisas, aos seus bens, impedindo-se assim de ser livres, prendendo-se por sua vontade ao fútil e temendo, a cada dia, perdê-lo... como se a essência da vida fosse o aparente.
Os pobres são pessoas pacientes. A sua capacidade de acreditar num futuro melhor é a força que lhes ilumina a espera, tornando-os dignos de toda a admiração – mesmo por todos aqueles que querem tudo e... já.
Quando se experimenta uma vida mais austera é com alguma surpresa que se começam a descobrir belezas e prazeres mais puros, mais simples, capazes até de nos fazerem sentir bem melhores do que quando experimentávamos o requinte das ostentações.
É certo que hoje há cada vez mais gente que não tem dinhe…

Tiberíades

Imagem
O mesmo nascer do Sol que Jesus viu

Telavive

Com transbordo em Bruxelas, demoramos cerca de nove horas de Lisboa à capital de Israel. Impressiona pensar os meses que Godofredo de Bulhão terá demorado a chegar. Contudo, apesar de a tecnologia nos fazer poupar tanto tempo, andamos sempre tão mais apressados

The new (old) Catholic Church

By Ashley McGuire Washington Post, January, 25, 2013
On the Feast of the Holy Family, I went to Mass in my hometown's Cathedral in Colorado Springs – a town many refer to as the "Evangelical Mecca." The pews were full of Hispanic couples in their 20s and 30s, children tottered about in the aisles, and the baby-faced Mexican priest firmly admonished everyone in Spanish to obey Pope Benedict's call to Catholics to hold fast to traditional family life.
Not long before that, I walked past the Catholic Information Center on a chilly, dark D.C. evening. Nestled amid the country's most powerful lobbying firms on K Street, darkened for the night, the brightly lit bookstore was filled with young Catholics in suits sipping wine and flocking around the evening's speaker, the head of a prominent think tank.
And Friday in Washington, D.C., tens of thousands of young Catholics in North Face and sneakers who have travelled in from all over the country will mark the fortieth ann…

Como se chamam juízes que roubam filhos a uma mãe?

Henrique Monteiro Expresso, Sexta feira, 25 de janeiro de 2013
A história é triste, revoltante e comovente. É uma história de pobreza e de violência judicial sobre os pobres. Passa-se em Sintra, onde um tribunal decide, em maio de 2012, retirar sete filhos a uma mãe, cabo-verdiana, cabeleireira desempregada. A Liliana, o seu nome, permitem-lhe ficar com as duas filhas mais velhas. Na sentença, que deixou a mãe descoroçoada, mas sem saber o que fazer (ela nem sabia que ia para um julgamento, e eu entendo-a, porque às vezes até eu tenho dificuldade em perceber as cartas dos tribunais). Não há, na sentença, a prova de maus tratos, de um delito que seja. Pelo contrário, o acórdão reconhece que há afetividade entre os irmãos e entre mãe e filhos. Apenas se prova o que é evidente - que Liliana é pobre. Num assomo da mais pura desumanidade, a sentença refere que falta higiene que - meu Deus! - a luz chegou a estar cortada por falta de pagamento! E que há um quarto para cinco crianças! E qu…

Mapa físico da Terra Santa

Imagem

Em busca da transparência

Parto hoje para a Terra Santa, pelo que o Povo vai estar em peregrinação durante uns dias. Levo-vos todos comigo no pensamento e na oração. Aquela Terra é Santa porque nela se revelou o Mistério de que somos feitos. Por isso, entre as principais intenções que levo no coração, descubro hoje que o que mais devo pedir é esta profundidade de olhar, que torna a realidade transparente. Um abraço com amizade do Pedro Aguiar Pinto

Transparência

Podemos ver aquilo que nos rodeia como uma realidade opaca: um écran que está ali e não é mais do que isso. Mas há uma maneira de olhar o mundo, de vê-lo no seu conjunto e na sua profundidade, que torna a realidade transparente. Então cada coisa revela uma história, um sentido, um valor… Quando conseguimos olhar deste modo para o mundo sentimos que vale a pena viver.
NÃO HÁ SOLUÇÕES, HÁ CAMINHOS
365 vezes por ano não perguntes porquê, mas para quê
Vasco P. Magalhães, sj
Edições Tenacitas
www.tenacitas.pt
http://www.facebook.com/edicoes.tenacitas

Ser humano a sério é mesmo difícil

Dizia ontem que neste mundo comandado por máquinas, torna-se cada vez mais difícil ser humano. Mesmo quando não são máquinas a comandar, as mais elementares regras de humanidade deviam impedir a decisão do tribunal de retirar filhos à sua mãe que se recusou a ser esterilizada. Não é na China, é em Portugal!
Ser verdadeiramente humano é outro nível de preocupação. Não é usar discricionariamente o livre arbítrio como a cigarra, não é só também multiplicar-se em actividades por melhores que sejam, como a formiga, é mais ser como a abelha (ver aqui)

Meditar

Meditar a vida! A palavra "meditação", em grego, vem daquilo que faz a abelha: meléte, o laborioso trabalho para fazer mel. Mas há quem seja como a formiga que produz continuamente: lê livros, vê filmes, viaja pelo mundo, consome todas as notícias, mas não labora, não faz mel. É uma tentação comum ser como a formiga rica, que despreza a cigarra gaiteira. Mas a formiga não chega aos calcanhares da abelha.
NÃO HÁ SOLUÇÕES, HÁ CAMINHOS
365 vezes por ano não perguntes porquê, mas para quê
Vasco P. Magalhães, sj

Edições Tenacitas
www.tenacitas.pt
http://www.facebook.com/edicoes.tenacitas

Retirar filhos a mulher que recusou laquear trompas “fere os mais elementares direitos humanos”

Andreia Sanches e Lusa Público, 23/01/2013 - 15:26
Sete dos dez filhos de mulher residente em Sintra deverão ser entregues para adopção. Presidente da Associação de Famílias Numerosas diz que decisão "é estalinismo".
Numa carta aberta, a Associação Portuguesa de Famílias Numerosas (APFN) questionou nesta quarta-feira o Governo sobre se a "imposição da obrigação da esterilização" a uma mulher a quem foram retirados sete filhos foi uma "decisão infeliz" dos serviços ou se se insere nas "orientações políticas" actuais. "Mas que raio de tribunais é que nós temos? Os tribunais podem fazer uma coisa destas?", indigna-se o presidente daquela associação.
A APFN refere-se a um caso noticiado recentemente. O Tribunal de Sintra ordenou que fossem retirados a Liliana Melo sete dos seus dez filhos. A ideia é que as crianças, entre as quais dois gémeos de quatro anos, possam vir a ser adoptadas. Os menores "estão institucionalizados e sem con…

O regresso

Pedro Lomba Público, 24/01/2013
Durante muito tempo, o Governo - e, em especial, o ministro das Finanças - foi prematuramente criticado por falhar o que ainda não tinha falhado: o objectivo do défice (mesmo cozinhado com receitas extraordinárias), a teimosa resistência em pedir qualquer alteração às condições dos empréstimos da troika, o regresso aos mercados da dívida pública. Eram críticas que se compreendiam em parte, até porque as suspeitas não eram as melhores, mas também mostravam a pressa com que os políticos são julgados.
É justo reconhecer que o regresso de ontem aos mercados da dívida pública, com grande procura externa, é um facto importante e um triunfo do ministro das Finanças, que aproveitou os resultados do défice, a "folga" dos pagamentos da troika e a bem-sucedida "boleia" do êxito da Irlanda para colocar dívida do Estado a um juro que, embora elevado, ficou abaixo dos 5%. Não ver isto, não querer ver pelo menos isto, em nome de duas ou três teori…

Leis secas

DESTAK | 23 | 01 | 2013   22.56H João César das Neves | naohaalmocosgratis@ucp.pt
A«lei seca», proibição de bebidas alcoólicas nos EUA, foi aprovada com emenda da  Constituição (a 18.ª) a 16 de janeiro de 1919 e vigorou de 17 de janeiro de 1920 a 5 de dezembro de 1933. Como ia contra os hábitos generalizados da sociedade, não só não reduziu o consumo de álcool, mas gerou uma enorme onda de crime que financiou os bandidos durante décadas. Dois anos antes o Congresso tinha aprovado uma outra «lei seca», só que nesse caso o vício eram os empréstimos governamentais. O teto máximo para a dívida pública foi estabelecido a 17 de setembro de 1917. O efeito foi igual, pois desde então o limite já foi aumentado cerca de cem vezes, oito das quais desde 2001. Aqui os bandidos também se continuaram a financiar. Ambos os casos mostram como no vício a lei não atinge os objetivos. Os bêbedos nunca são controlados por estatuto. No álcool ainda houve o bom senso de eliminar a lei, aprovando nova emend…

Ser humano

Neste mundo comandado por máquinas, torna-se cada vez mais difícil ser humano. Vivemos em liberdade condicional, vigiados em todo o lado por essas pulseiras electrónicas que são os telemóveis.
Ao Santuário de Cristo-Rei foi concedida Indulgência Plenária Perpétua
Se há um dia dos Santos Inocentes logo a seguir ao Natal, o dia de ontem é também um dia de memória de tantos milhões de vidas no pensamento de Deus que nunca chegaram a pisar esta terra e que seguramente o louvam no Céu. Pedir-lhes pelas suas mães, para que consigam recuperar um dia a paz perdida é a oração do dia de hoje (ver aqui)

14.ª Catequese do Ano da Fé - Creio em Deus

Eu não quero um RingDing

Carlos Fiolhais Público, 23/01/2013 Neste mundo comandado por máquinas, torna-se cada vez mais difícil ser humano. Vivemos em liberdade condicional, vigiados em todo o lado por essas pulseiras electrónicas que são os telemóveis. Somos inopinadamente dados como culpados de qualquer coisa e a pulseira lá está para não fugirmos. Fui no outro dia interpelado por um SMS da minha operadora de telecomunicações que me avisava de uma suposta dívida para com ela:
[P/ evitar suspensao da conta v devera liquidar o valor vencido de x ate ao dia y. MB/Ent w /Ref z /Imp. x]
Reproduzo como recebi, com abreviaturas e sem acentos (este é que é o verdadeiro acordo ortográfico que nos estão a impor!), apenas com as letras v a z a substituir números. Ignorei a mensagem, uma vez que tinha dado autorização para cobrança automática pelo banco. Mas, quando a intimidação reapareceu, não me fiquei. Embora ciente de que era uma máquina e esta é incapaz de uma conversa, resolvi tentar uma aproximação, imitando-…

Frase do dia

Não existe à face da terra tal coisa como um assunto desinteressante; a única coisa que pode existir é uma pessoa desinteressada G. K. Chesterton

Só por confissão

Pedro Lomba  Público, 22/01/2013
É uma história peripatética, nefasta para ele. Para nós pode ser uma fábula moral sobre o tempo infinito que leva uma pessoa a convencer-se. Ontem mesmo, enquanto investigava para esta coluna e depois de Lance Armstrong já ter confessado as suas trapacices a Oprah Winfrey, encontrei artigos que continuavam a explicar ou atenuar o que ele fez. Prosas em blogs, páginas virtuais, o texto de uma revista judaica lembrando que as mentiras de Armstrong podem ser justificadas perante o Talmude. Ele não é bem um mentiroso. Ou mentiu com estrondo, vinte anos, mas como outros também mentiram e, ao menos, ele pôde frutificar a sua obra solidária. Ainda um grande homem.
Então recapitulemos a farsa. Sobretudo o nosso lado da farsa, porque o interesse disto é que estava toda a gente disposta a ser o farsante de Lance Armstrong. Em 1999, quem olhasse para Armstrong no Tour de França ficava abismado. Em época marcada pelas primeiras descobertas de doping (a prisão do…

Sessão evocativa de S. Francisco de Sales e de Santa Joana de Chantal

Papa concede Indulgência Plenária Perpétua ao Santuário de Cristo-Rei

Imagem
Decreto premeia «esforço» para que local não seja visto, nem pelas pessoas em geral nem pela Igreja, «como um belo miradouro para Lisboa», diz reitor Setúbal, 22 jan 2013 (Ecclesia) – O Papa concedeu a Indulgência Plenária Perpétua ao Santuário de Cristo-Rei, na Diocese de Setúbal, conhecido pela imagem de Jesus de braços abertos que domina o rio Tejo junto a Lisboa.
O reitor do santuário disse hoje à Agência ECCLESIA que o documento é "bastante importante" por se tratar do "reconhecimento, por parte da Santa Sé, do esforço que tem sido feito nos últimos anos" para que o local "não seja visto, nem pelas pessoas em geral nem pela Igreja em particular, como um belo miradouro para Lisboa".
Com esta declaração o santuário "torna-se mais fiel ao seu próprio espírito e carisma fundacional, que é ser um centro de oração e reparação [dos males causados pelos pecados]", frisou o padre Sezinando Alberto, acrescentando que a Indulgência "vai com certe…

22 de janeiro de 2013 - 40º aniversário de Roe vs. Wade

22 de janeiro de 2013 - 40º aniversário da decisão do Supremo Tribunal de Justiça Americano conhecida como Roe vs. Wade.
Numa decisão histórica de 7 contra 2 o Supremo Tribunal deliberou que a decisão de uma mulher fazer um aborto está dentro do seu direito à privacidade, embora este direito deva ser balançado com os dois interesses legítimos que o Estado defende ao regular o aborto: a protecção da vida pré-natal e a saúde da mãe. Com o argumento que os interesses que o Estado deve defender se tornam mais fortes `com o avanço da gravidez, introduziu o trimestre e depois as semanas de gravidez como medida desse balanço. Em argumentação posterior foi introduzido o conceito de viabilidade. A historicidade de Roe vs. Wade resulta do debate que, de então para cá foi aberto e é periodicamente reavivado não só nos Estados Unidos, onde a questão do aborto é tema de quase todas as campanhas eleitorais (dividindo o país sensivelmente a meio) como em todo o mundo ocidental. Deve ser uma data a r…

The Gospel Project

The Gospel Project: The Grand Narrative in 3 Minutes from Prayson Daniel on Vimeo.The Gospel Project is a Christ-centered curriculum that examines the grand narrative of Scripture and how the gospel transforms the lives of those it touches. Children and Student in the Churches will so much be blessed with his ministry. Go to http://www.gospelproject.com/

O curioso caso da ADSE e a espiral estatizante

João Carlos Espada Público, 21/01/2013
No debate, ou ausência dele, sobre a chamada "reforma", ou "refundação", do Estado social, um tema aparentemente marginal merece, contudo, reflexão. Trata-se da proposta de extinção da ADSE, o sistema de saúde aplicado aos funcionários públicos. Penso que o sistema é conhecidos de todos, mas vale a pena recordar alguns aspectos. Trata-se de uma espécie de seguro de saúde, para a qual empregado e empregador descontam mensalmente. Em contrapartida, o empregado-utente da ADSE tem um desconto significativo no preço de cada consulta ou exame médico. A parte restante será paga pela ADSE, com comparticipação do Estado, ao fornecedor dessa consulta ou desse exame. Finalmente, a ADSE permite ao utente escolher o fornecedor. Este pode ser privado, devendo apenas ter um acordo com a ADSE. Ainda assim, caso não o tenha, o utente da ADSE pode usá-lo, pagando o custo integral da consulta ou do exame, e sendo depois reembolsado pela ADSE d…