sexta-feira, 19 de agosto de 2016

A falta de vergonha não tem limites

Camilo Lourenço
Jornal de Negócios, 20160819

Este governo não para de surpreender. Pela negativa. O BCE decide chumbar 19 administradores para a CGD e proibe a acumulação de cargos entre CEO e chairman. O que faz o governo? Insiste na segunda e diz que vai mudar a lei para contornar a "nega" do BCE no número e nomes dos administradores.
Mudar a lei? Para servir os interesses do governo? Isto é como o presidente de um clube pedir a mudança da regra do penalty porque o árbitro marcou penaly (justo) contra a sua equipa.
O governo não entende duas coisas. A primeira é que a imposição do BCE faz todo o sentido: o conselho de adminisração (administradores não executivos) fiscaliza o trabalho do CEO e equipa. Logo tem de ter tempo para fazer isso. Ora alguns dos nomeados pelo governo já têm muito trabalho em outros órgãos sociais em que participam. Além disso, existe um conflito de interesses entre empresas onde essas pessoas exercem funções e as funções que vão exercer na Caixa.
Félix Mourinho, Mário Centeno e António Costa precisam de perceber que a Lei é feita para nos proteger de nós próprios. Todos temos interesses na vida. E quando alguém tenta atingir esses interesses, reagimos. Isto é, fazemos tudo para que não levem a sua avante. Inclusive contrariando aquilo que, em teoria, defendíamos antes de nos tocarem nos interesses (é sempre fácil arranjar desculpas para sossegar a nossa consciência).
É por isto que nenhum governo deve mudar a Lei por causa de situações concretas. O dr. António Costa, licenciado em Direito, sabe isso. Mas faz de conta que não sabe. LAMENTÁVEL!
P.S. - Se o anterior governo tivesse ensaiado qualquer jogada deste género, a gritaria ouvir-se-ia na China. Agora, com exceção de alguns corajosos, anda tudo calado. Que vergonha!!!
Enviar um comentário