quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Participação na Consulta Pública

ROSÁLIA LINCHO

Exmos. Senhores políticos e membros do ministério de educação,

Tomei conhecimento do programa ideológico em anexo, que denominaram “referencial de educação para a saúde”. A denominação está viciada por erro uma vez que este “referencial” nada tem a ver com a saúde, pelo que é enganosa.

Com este “programa”, os políticos e os titulares dos cargos decisores do ministério da educação preparam-se para ministrar despoticamente uma ideologia totalitária e viciada a alunos a partir do primeiro ciclo, a saber: ideologia do género e ideologia de acordo com a qual a sexualidade humana e reprodutiva é semelhante à dos animais.

Este programa é perverso porque desrespeita em absoluto a natureza humana e o ser humano e coincide exclusivamente com uma ideologia  sem qualquer aderência à realidade e consubstancia uma propaganda ilegítima da mesma. É manipulador e tanto mais condenável quanto  tenta formatar cérebros de crianças de tenra idade, inculcando-lhe questões ideológicas para as quais não estão preparadas e constitui uma condenável e inaceitável violação das suas consciências, da sua formação e da sua dignidade.

Enquanto cidadã deste país tudo farei para denunciar esta situação de propaganda ilegítima, ilegal por violação dos princípios constitucionais e das liberdades fundamentais, ingerência nos direitos à reserva da vida privada que confere às famílias o dever /direito de formar as consciências e os valores das crianças.

Estarei à disposição para sugestões que alterem este programa de forma a dele retirar a ideologia totalitária e intransigente do mesmo.

O papel do ministério da educação é o de formar crianças e jovens e não de os deformar ao sabor da ideologia de género.

Desejo bom  trabalho no serviço ao povo, no respeito pela dignidade da pessoa.

Com os melhores cumprimentos,
Enviar um comentário