Cristãos de Alepo celebram o Natal na primeira missa em cinco anos

"A atmosfera festiva é grande, é um novo nascimento para Jesus Cristo e um novo nascimento para a cidade de Alepo", disse George Bakhash, um líder da comunidade cristã.

Cristãos em Alepo celebraram este domingo sob uma gigante árvore de Natal iluminada pela primeira vez em cinco anos, saudando o que muitos descreveram como o retorno da paz a uma cidade que voltou ao controlo total do governo na semana passada.
Na devastada Catedral de Santo Elias, localizada na linha da frente na parte histórica de Alepo, os sacerdotes rezaram pela paz na primeira missa de Natal em cinco anos, com dezenas de fiéis, entre eles alguns oficiais russos.
"A atmosfera festiva é grande, é um novo nascimento para Jesus Cristo e um novo nascimento para a cidade de Alepo", disse George Bakhash, um líder da comunidade cristã, citado na agência Reuters.
O número de fiéis que compareceram à missa aumentou em toda a cidade, agora que os fiéis já não temem mísseis das áreas controladas pelos rebeldes.
Muitos cristãos sírios apoiaram o governo na guerra civil, vendo Assad, membro de uma seita de minoria xiita, como um protector contra combatentes rebeldes, vindos principalmente da maioria muçulmana sunita da Síria.
Nas partes comparativamente intactas da cidade controladas pelo governo há algum tempo, os restaurantes estiveram repletos de cristãos até altas horas da noite.
Centenas de pessoas dançaram e comemoraram no bairro de Azizya, onde a árvore de Natal pública tinha ficado apagada desde que os rebeldes tomaram a metade oriental da cidade em 2012. Cartazes gigantes retratavam Assad e seu aliado cristão, o presidente russo Vladimir Putin.
A população cristã de Alepo encolheu para metade desde o início do conflito, de 50 mil para 25 mil pessoas.
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Sou mãe de um forcado. E agora?

Suécia persegue parteiras que se negam a praticar abortos

Gomes-Pedro: “A mãe não precisa de descansar e dormir, precisa é de namorar com o seu bebé”