domingo, 11 de dezembro de 2016

3º Domingo do Advento

POVO 11.12.16

"Sempre fomos esperados no Céu." 




À medida que se aproxima o Natal, tenho-me lembrado do último Natal passado com o pai. 

Na manhã de Natal de 25 de Dezembro de 2015, chegámos com as crianças ao Barrão, a nossa casa de família no Carregado, para almoçar. A sala de jantar estava quente e preparada para nos receber. A espera sentia-se em cada pormenor. Éramos esperados com amor. A mãe tinha posto a mesa, escolhendo as loiças e a decoração. O pai tinha assado no forno um capão à Freamunde. Este era apenas o segundo Natal em quatro anos que o nosso filho Pedro passava em casa e não no hospital. Estávamos gratos de o ter connosco. Foi um Santo e Feliz Natal. 

Este Verão, no dia 15 de Agosto, antes de irmos de férias, os pais voltaram a preparar a mesa, pois chegávamos para jantar e partiríamos na manhã seguinte. Mas à tarde o Pedro teve que ser visto no hospital e ficou internado. Tivemos que ficar com ele e faltar ao jantar. Só umas semanas depois quando jantámos o rosbife que estava congelado é que os pais nos disseram que tinha sido feito para o jantar daquele dia. E no telefone do pai encontrei recentemente a fotografia, tirada amorosamente, da mesa posta que acabou por não nos receber.

Hoje iremos à missa. A mesa estará posta à nossa espera. Aquele que esperamos, espera por nós. É a memória destas refeições em família que esclarece esta relação recíproca de amor: esperamos e somos esperados. Na missa, não falta nada nem ninguém, se não faltarmos nós.

No 3º Domingo do Advento, e no 2º mês da morte do pai Pedro Aguiar Pinto este é o meu pedido mais premente: Ele nunca nos falta, não Lhe faltemos nós.




POSTS DESTA SEMANA

AGENDA de NATAL

8 - 23 DEZEMBRO

12 - 18 DEZEMBRO
MAFRA


14 - 18 DEZEMBRO
Sessões iniciando-se sempre às 21h15
no Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada.

Enviar um comentário