Cuerpos de Dolor. A Imagem do Sagrado na Escultura Espanhola (1500-1750)


15 Nov 2011 - 25 Mar 2012
Museu Nacional de Arte Antiga - Galeria de Exposições Temporárias

Abarcando os séculos áureos da escultura espanhola, a exposição “Cuerpos de Dolor. A imagem do sagrado na escultura espanhola (1500-1750)” constitui uma escolhida amostra das importantes colecções do Museo Nacional de Escultura (Valhadolid, Espanha), conhecido como o “Prado da Escultura”.

Pela primeira vez, Portugal tem o privilégio de acolher mais de três dezenas de esculturas de grandes mestres espanhóis – desde o declinar da Idade Média ao ocaso do Período Barroco –, como Berruguete, Juan de Juni, Pompeo Leoni, Gregorio Fernández, Alonso Cano, Pedro de Mena, Pedro de Sierra ou Salzillo.

Uma exposição inquietante – ascetas, mártires, virgens, Cristos crucificados – capaz de provocar no visitante uma impressão que ultrapassa as fronteiras da estética, todavia inquestionável, numa importante chamada de atenção para a relevância do acervo deste museu espanhol.

“Cuerpos de Dolor” inscreve-se numa nova dinâmica, à qual pertencem a recente exposição “Confrontos. Bosch e o Seu Círculo” – que possibilitou ao Museu Nacional de Arte Antiga acolher duas importantes obras do Museu Groningen (Bruges, Bélgica) –, a transposição para a National Gallery of Art (Washington, EUA) da mostra “A Invenção da Glória. D. Afonso V e as Tapeçarias de Pastrana”, ou a circulação, primeiro para o próprio Museo Nacional de Escultura e, em seguida, para o não menos prestigioso Museo de Bellas Artes de Valencia (2 Novembro de 2011 - 8 Janeiro 2012), da exposição “Primitivos. El Siglo Dorado de la Pintura Portuguesa”.

Exposição integrada na Mostra Espanha 2011.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Se eu fosse filmado secretamente...

16 de Julho - Nossa Senhora do Carmo

A família, espaço de resistência