quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Querida Segurança Social

         ROSA AMADO  02-11-16  AMADOSROCK.BLOGSPOT.COM
Adorava que nos dessemos bem mas tornas as cenas difíceis.

Hoje vou ter contigo e tentar resolver a embrulhada. De todo o impacto que ter um filho, extra carregado em cromossomas, o que mais tem custado é a burocracia. 
É que sabes, querida segurança social, detesto burocracia. Percebo que seja uma cena que precises para sobreviver, mas a mim, mata-me.

Antes de nascer já sabíamos as duas que vinha trissómico, tudo testado pelo sistema nacional de saúde e muito bem feitinho. 
Nasceu, contigo também, no sistema nacional de saúde, mas isso não invalidou que passasse metade da licença que tinha para nos curtirmos a provar e atestar todos os 47 cromossomas da criatura. Nas finanças, na junta médica e no centro de saúde. Mandaste-me ao teu médico confirmar a tal trissomia, depois ainda exigiste um certificado de incapacidade multiusos de 60 euros e bem mandados dizemos isso tudo. [Tenho um ódio de estimação ao tal certificado multiusos, não lido ainda bem com a palavra deficiência, atrasos meus claramente. Podemos falar disso noutra altura]

Dito isto nunca te falhei na papelada que me exigiste. 

Muito querida foste e cumpriste o prometido no primeiro ano, depois de alguma insistência ao telefone autorizaste a intervenção precoce que deu ao meu zé ia uma hora por semana de uma terapeuta em casa no seu primeiro ano de vida. Chamava-se (e ainda chama) Mafalda e foi quase tão importante para o meu trissómico como para mim. A coitada sem saber (ou sabendo de mais) ouvia as minhas duvidas e ajudou-me a perceber que afinal tudo o que potencialmente poderia ser diferente estava na margem da normalidade que eu, e nós, aguentaríamos tão bem.

Depois decidimos que o zé ia para a escola e tu, querida segurança social, sem mais nem menos cortas-te com a Mafalda. Não percebi bem a lógica da cena, sendo que na escola não haveria nenhuma terapia grates para compensar. Haveriam por lá terapias, está claro, mas todas a pagantes e a peso de ouro.
Está claro que decidimos manter terapias e mesmo sem o teu apoio, nem moral, lá deixamos mais do que uma mensalidade em terapias, todos os meses desde esse dia.

No ano passado a escola falou em referenciar a o meu baby a ti, e tive algum stress traumático nesse ponto, falou em assinalar que precisas de necessidades educativas especiais para te pedirmos apoio. Tive muitas duvidas porque não queria que  rotulassem o meu menino com necessidades especiais, sei que acontecerá sempre um dia, mas ainda acredito no sonho de o ter devagarinho a cumprir todas as linhas do currículo escolar não adaptado. 

Tendo noção do potencial impacto económico teria, e no que de mais poderíamos proporcionar ao zézão e aos seus irmãos com esta ajuda, decidimos avançar. E lá vieste tu com a tua burocracia.  Pediste-me que provasse again a trissomia, e o atestado, e o nib, e a receita do pediatra, e do PEI e de tudo mais. 
Tudo coisas que tu tens e já sabes, é que tal como eu, tu sabes que a cena do cromossoma é para a vida. 
Mas entreguei tudo o que me pediste e tu, passados 3 meses, validaste que me ajudarias. Linda menina. Alegria gigante, embora sem a informação de em quanto nos irias dar em guitas.

Como é de ti, pediste mais uma papelada. Desta querias as atas, faturas e ficha de requisição de todas as terapias que o meu super atleta teve no decorrer desse ano. E lá fui eu chatear a escola, 4 terapias por semana ao longo de um ano, e tínhamos toda uma resma de papel para te entregar. Assinámos uma a uma como se faz no auge da tua loucura de burocracia, eu e a escola, e entregamos onde tu me pediste.

Passaram meses, e liguei vezes sem conta a saber se já tinhas recebido o meu esforço exímio para me poderes finalmente ajudar com guita. As pessoas que atendem o telefone não me sabiam ajudar com status.

Recebi depois uma cartinha de amor a dizer que não tinham ainda aprovado a ajuda porque algum dos documentos , no meio duma resmona que te fiz chegar, não estava assinado. Razão para não pagarem nem um. Não enviaste nenhum documento anexo, nem um pedido adicional. Tentei ligar e chatear-me mas não deu, ninguém sabia do que falava. Tonta eu.

Marquei então há um mês um date para nós, hoje ao almoço. Lá estarei sentadinha doida para perceber o que tens para me dizer. 


Da tua almost ex-friend

ps. e se me perguntarem pelo lado negro da T21, não vou mentir, o pior de tudo para mim são as burocracias de malta como tu.
Enviar um comentário