terça-feira, 8 de novembro de 2016

Noite tranquila e acompanhada

VOZ DA VERDADE   02.11.2016

É uma valência onde os utentes chegam após o jantar, pernoitam, tomam o pequeno-almoço e depois voltam às suas vidas, para regressarem ao início da noite. O Centro de Noite da paróquia da Encarnação de Mafra é uma “resposta pioneira no Patriarcado de Lisboa” e foi inaugurado no passado dia 1 de novembro.

Os primeiros utentes vão começar a chegar ao Centro de Noite no início do novo ano de 2017. É esse o desejo do pároco da Encarnação de Mafra, padre João Vergamota. “O Centro de Noite vai ser um espaço onde os idosos que tenham dificuldade em estar sozinhos em casa, ou que tenham mais receio devido à saúde, passam a noite mas que, durante o dia, conseguem fazer a sua vida, ir a casa, tratar da horta, tratar dos animais e fazer as suas coisas. Durante a noite as pessoas sentem-se mais sozinhas e ganham medo de que lhes aconteça algo e não terem ninguém que os acuda. Nesse sentido, a resposta do Centro de Noite visa precisamente ajudar as pessoas a passar melhor a noite, com mais acompanhamento”, explica ao Jornal VOZ DA VERDADE este sacerdote, de 34 anos.
Inaugurado no passado dia 1 de novembro, Solenidade de Todos os Santos, o Centro de Noite é mais uma valência do Centro Social Paroquial de Nossa Senhora da Encarnação. O projeto começou a ser pensado por altura da Páscoa do ano passado, mas um contacto da Câmara Municipal de Mafra agilizou todo o processo, segundo salienta o padre João. “A câmara tinha um espaço, de um antigo ATL, que não estava a ser usado e, ao abrigo de um programa do município para não haver edifícios devolutos, perguntou ao centro social paroquial se estaríamos interessados no espaço para algum projeto”, revela o pároco, frisando que o Centro de Noite da Encarnação “é um projeto pioneiro no concelho”. “É uma valência dirigida a uma realidade necessária, que ainda não tinha resposta”, observa o padre João Vergamota, que é pároco da Encarnação desde 2011 e tem a colaboração, desde há quatro anos, do padre Carlos Pinto. Os dois são párocos in solidum da Encarnação, mas também de Sobral da Abelheira e Santo Isidoro.

Uma resposta para 16 idosos
Apesar da inauguração, o ‘arranque’ do Centro de Noite deve ser feito em janeiro ou fevereiro de 2017, uma vez que “faltam estabelecer alguns acordos com a Segurança Social”. “As obras estão feitas, tudo está preparado mas ainda se tem de fazer alguns cálculos para ver quantas pessoas se podem admitir”, assinala o padre João Vergamota, salientando “haver já bastante interesse por parte das pessoas” nesta nova resposta.
Os quartos desta casa estão dedicados aos santos da freguesia. Equipado com sete quartos, a ambição é ter, para já, 16 idosos a pernoitar no novo Centro de Noite. No piso inferior do edifício ficam situados os gabinetes de saúde e os gabinetes técnicos. Também neste piso existem salas, ainda não equipadas, que no futuro vão servir de cozinha, refeitório e outros serviços. O Centro de Noite tem ainda duas salas de convívio, a Sala São João Paulo II e a Sala Santa Teresa de Calcutá. “Os utentes jantam em suas casas e chegam ao Centro de Noite ao princípio da noite, dormem e tomam o pequeno-almoço”, descreve o jovem sacerdote, que é presidente da direção do Centro Social Paroquial de Nossa Senhora da Encarnação. “Pelo menos um funcionário do centro social vai passar a noite com os idosos”, garante, sublinhando que “o novo centro de noite vai também aumentar a capacidade de resposta do centro de dia”.

Promover e ajudar uma resposta necessária
Os centros de dia e os centros de convívio são uma realidade com algumas décadas. Os centros de noite começam agora a dar os primeiros passos e são uma realidade a que a Igreja tem de estar atenta, segundo o padre João Vergamota. “Existem os lares, onde as pessoas já passam as noites mas por vezes não precisavam de passar o dia… como os filhos não podem ou não têm ninguém para passar a noite, há idosos que, devido às noites, são também obrigados a passar o dia nos lares, sendo que alguns estão ainda válidos para fazer a sua vida. O centro de noite é uma resposta intermédia para quem ainda não precisa do lar. Tal como o centro de dia é uma resposta para as pessoas que não precisam de dormir no lar, o centro de noite pode ser uma boa resposta para as pessoas que não precisam de passar o dia num lar”, salienta.
No entender deste sacerdote, uma comunidade cristã pode ajudar estas novas respostas “promovendo e ajudando os centros sociais paroquiais”. “Na paróquia há imensa gente que tem feito diversas iniciativas para angariar dinheiro para o projeto. Isso mostra o interesse que as pessoas têm. A paróquia mobilizou-se em eventos e atividades para que o centro de noite fosse possível, porque também percebe que é uma realidade necessária”, refere o padre João, destacando igualmente “as associações civis da Encarnação que ajudaram, bem como a Caixa Agrícola e, claro, a Câmara Municipal de Mafra e a Junta de Freguesia da Encarnação”. “Houve uma associação da terra que na última passagem de ano, de 2015 para 2016, organizou uma iniciativa cujos lucros reverteram para o Centro de Noite. Há um interesse geral, não só por parte da paróquia mas também da sociedade”, revela, satisfeito, o pároco.

Familiares que cuidam
Fundado em 19 de fevereiro de 1990, o Centro Social Paroquial de Nossa Senhora da Encarnação presta apoio, nos dias de hoje, apenas na área da terceira idade. “No início, o centro social paroquial era dirigido também à infância e tinha uma creche. Atualmente, temos somente o centro de dia e, futuramente, o centro de noite, além do apoio ao domicílio e da distribuição de alimentos do Banco Alimentar Contra a Fome”.
A Encarnação de Mafra é uma freguesia com 28,54 quilómetros quadrados de área e 4.798 habitantes, segundos os Censos de 2011. “É uma população maioritariamente rural, mas não tem havido um êxodo muito grande para a cidade. A realidade é que na Encarnação ainda há muitas famílias que tratam dos seus próprios idosos, que os recebem em casa. Apesar de haver casos que precisam de ajuda, também temos de valorizar que há muita gente que acolhe e trata dos idosos da família”, frisa o padre João Vergamota, lembrando que “o campo e as padarias são o que mais ocupa as pessoas da terra”.

________________

“Uma resposta pioneira e necessária”
Foi ao som da banda da Sociedade Filarmónica 1º de Dezembro da Encarnação que teve início, no passado dia 1 de novembro, a festa de inauguração do Centro de Noite do Centro Social Paroquial de Nossa Senhora da Encarnação. Na celebração da Eucaristia, no dia da Solenidade de Todos os Santos, o Bispo Auxiliar de Lisboa D. Nuno Brás sublinhou que “a santidade se faz também em obras”, como esta do Centro de Noite. “É bonito que esta obra seja inaugurada no dia 1 de novembro”, manifestou o prelado, reforçando, na sua homilia, que “a missão dos cristãos é espalhar a vida de Deus, sempre e em toda a parte”. A Missa campal foi concelebrada pelo atual pároco da Encarnação, padre João Vergamota, e pelo padre Aníbal Mota, antigo presidente da instituição e “promotor de tudo o que hoje o centro social paroquial representa”, segundo o padre Vergamota.
Na sessão de bênção e inauguração da nova valência, o pároco salientou que “uma resposta deste género é pioneira e necessária” e manifestou “satisfação” por este ser “o primeiro Centro de Noite situado no Patriarcado de Lisboa”. D. Nuno Brás destacou igualmente a novidade que representa o projeto. “Esta ideia inovadora – confesso – é uma coisa que a minha mãe já me fala há algum tempo. A verdade é que nunca ninguém, até este momento, se pôs a essa tarefa. Creio que é importante e é de facto uma iniciativa pioneira do Centro Social Paroquial de Nossa Senhora da Encarnação”, partilhou D. Nuno Brás, desejando que os utentes, neste Centro de Noite, “se sintam em casa e se sintam sempre acompanhados uns dos outros e com o Senhor”.
Como sublinhou o pároco da Encarnação, a Câmara Municipal de Mafra teve um papel decisivo para a execução do Centro de Noite. Presente na inauguração, o presidente da autarquia, Hélder Sousa Silva, salientou que “o envelhecimento da população é um grande desafio”. “Hoje, aqui está a resposta ao desafio: respeitar o lugar do idoso, valorizando o seu contributo social. Os mais velhos são o referencial para a nossa comunidade, pela sabedoria acumulada, que é ensinamento de vida, e pelo conhecimento das tradições que importa legar às novas gerações”, apontou. O autarca reconheceu ainda “o verdadeiro serviço comunitário prestado pelo Centro Social Paroquial da Encarnação desde a sua fundação”, destacando “a nova e oportuna” resposta social que o Centro de Noite representa. “Que este seja um espaço de amor, de felicidade para todos aqueles que o vão utilizar”, desejou Hélder Sousa Silva.

________________

Crucifixo no Centro de Noite
Durante a celebração, o Bispo Auxiliar de Lisboa D. Nuno Brás benzeu o crucifixo que vai agora ficar no Centro de Noite, num espaço de oração disponível para todos os utentes.
Enviar um comentário