terça-feira, 28 de junho de 2016

Comemoração do 65º aniversário da ordenação sacerdotal do Papa emérito Bento XVI



O Papa Francisco presidiu hoje no Vaticano a uma cerimónia de homenagem a Bento XVI, pelo seu 65.º aniversário de sacerdócio, afirmando que o agora pontífice emérito “continua a servir a Igreja”.
“Vivendo e testemunhando hoje de modo tão intenso e luminoso esta única coisa verdadeiramente decisiva - ter o olhar e o coração dirigido para Deus -, o senhor, Santidade, continuar a servir a Igreja, não deixa de contribuir verdadeiramente com vigor e sabedoria para o seu crescimento”, disse o pontífice argentino perante responsáveis da Cúria Romana, na Sala Clementina, a mesma onde o agora Papa emérito se despediu dos cardeais a 28 de fevereiro de 2013.
A iniciativa marcou o regresso, mais de três anos depois, de Bento XVI ao Palácio Apostólico do Vaticano.
Francisco apresentou uma reflexão centrada na presença do seu predecessor no Mosteiro ‘Mater Ecclesiae’, do Vaticano, desde onde emana “uma tranquilidade, uma paz, uma força, uma confiança, uma maturidade, uma fé, uma dedicação e uma fidelidade” que fazem “muito bem” ao Papa e a “toda a Igreja”.
O pontífice argentino quis ainda elogiar o “são e alegre sentido de humor” de Bento XVI.
Francisco quis abraçar o seu predecessor assim que entrou na sala e voltou a abraçar o Papa emérito no final da intervenção de homenagem.
O discurso evocou a ordenação sacerdotal de Joseph Ratzinger na Catedral de Frisinga, na Alemanha, a 29 de junho de 1951, e uma “vida inteira dedicada ao serviço sacerdotal e à verdadeira teologia”, a “busca do amado”.
“É isto que o senhor sempre testemunhou e testemunha ainda hoje: que a coisa decisiva nos nossos dias, de sol ou de chuva, aquela com a qual vem também tudo o resto, é que o Senhor esteja verdadeiramente presente”, assinalou o Papa.
Francisco observou que este “amar” e “acreditar” permite que se olhe para o futuro “não com medo ou nostalgia, mas com alegria”, mesmo nos anos mais avançados da vida.
O Papa sustentou que o Mosteiro ‘Mater Ecclesiae’ é “completamente diferente” dos locais esquecidos em que a “cultura do descarte” de hoje procura relegar as pessoas quando estas, por causa da idade, “perdem as suas forças”.
“É precisamente o contrário e permita-me que o seu sucessor, que escolhe chamar-se Francisco, diga isto com força”, declarou.
A cerimónia continuou com uma intervenção do cardeal Gerhard Ludwig Müller, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé e curador da obra completa de Joseph Ratzinger, bem como do cardeal Angelo Sodano, decano do colégio cardinalício.
O Papa emérito recebeu uma edição, em várias línguas, do livro que reúne várias reflexões suas sobre o sacerdócio, com prefácio de Francisco, tendo entregado uma das cópias ao Papa.
Bento XVI anunciou a sua renúncia ao pontificado a 11 de fevereiro de 2013 e está a manter desde então uma vida de recolhimento, no Vaticano, surgindo esporadicamente em público para acompanhar cerimónias presididas por Francisco ou receber homenagens.
Enviar um comentário