quarta-feira, 27 de abril de 2016

A suprema hipocrisia das esquerdas

Paulo Baldaia | TSF | 26.abr.2016

Até quando poderão os partidos de esquerda enganar o seu eleitorado, dizendo que não têm nada a ver com aquilo que só eles são capazes de viabilizar?

Andamos nisto quase desde o início. O Bloco e o PCP, à vez cada um ou os dois juntos, acham normal estar contra medidas estruturais do governo socialista, não os chumbar, mas fazerem de conta que não têm responsabilidade nenhuma.
Depois de repetirem à exaustão que o orçamento do Estado que aprovaram não era o orçamento deles e de lhes apontarem inúmeras expectativas não cumpridas, agora é o Programa de Estabilidade que manifestamente não agrada ao Partido Comunista, mas que vai seguir em frente porque as esquerdas se recusam levá-lo a votação, como pretende o CDS.
A ideia do CDS está a "roçar a chicana política", como diz o PCP? Pode ser que sim, mas em nada é diferente de outras ideias do género dos restantes partidos, noutras alturas. Alguém achará normal que Jerónimo de Sousa diga que o PCP não apoia o Programa de Estabilidade, mas não o queira votado e chumbado?
Até quando poderão os partidos de esquerda enganar o seu eleitorado, dizendo que não têm nada a ver com aquilo que só eles são capazes de viabilizar? Esta tarde, o Programa de Estabilidade não vai a votos e pode seguir para negociações em Bruxelas e isso só é possível porque o Bloco e o PCP o permitem. Este também é o seu Programa de Estabilidade. Querer afirmar o contrário é a suprema das hipocrisias políticas.
Enviar um comentário