domingo, 17 de janeiro de 2016

Rainha da Jordânia responde a um cartoon do Charlie Hebdo

PÚBLICO 16/01/2016

Jornal satírico francês foi criticado por desenhar um Aylan já adulto a perseguir uma mulher, numa referência aos ataques sexistas que ocorreram na Alemanha.

A Rainha Rania da Jordânia respondeu com um desenho a um cartoon do jornal satírico francês Charlie Hebdo que voltou a desenhar Aylan Kurdi, a pequena criança síria que morreu afogada e deu à costa numa praia da Turquia e cuja foto comoveu o mundo inteiro e chamou a atenção para crise dos refugiados.
No mais recente número do Charlie, o director do jornal, Riss, desenha um homem com um ar alucinado e perverso a perseguir uma mulher com a frase “O que teria sido o pequeno Aylan se tivesse crescido?”. A referência óbvia é aos ataques sexistas a que foram sujeitas centenas de mulheres na noite do Fim do Ano em Colónia, na Alemanha, por grupos de homens que as autoridades identificaram como sendo de origem norte-africana e árabe.

O desenho de Riss caiu mal um pouco por todo o lado, tendo sido duramente criticado inclusive pelo próprio pai de Aylan, que o classificou como “desumano e imoral”
Nas suas contas de Facebook e do Twitter, a rainha Rania publicou um desenho que foi feito pelo cartoonista jordano Osama Hajjaj, onde se vê o pequeno Aylan a crescer, primeiro a brincar, depois a ir para escola e já em adulto como médico.

O desenho foi publicado em três versões: árabe, inglês e francês com a mesma frase usada no Charlie Hebdo: “O que teria sido o pequeno Aylan se tivesse crescido?”. E a rainha responde: “Aylan poderia ter sido um médico, um professor ou um pai carinhoso.”
Enviar um comentário