quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Cavaco faz bem em levar o seu tempo

Ricardo Costa
Expresso, 2015.11.12

Os tempos de incerteza exigem mais segurança que rapidez. Qualquer que venha a ser a decisão do Presidente deve ser bem ponderada e justificada. Seja a indigitação de um governo PS - a hipótese que me parece mais provável -, seja um reforço de garantias, seja o governo de gestão. A situação é nova e será evocada e analisada durante muito tempo. Uma decisão apressada ou mal sustentada seria um enorme erro.
Temos falado muito de Constituição, das suas normas e convenções, bem como das leituras que permite. Em casos limite é isso que acontece, tal como vimos nos processos de indigitação e destituição de Santana Lopes, ainda hoje discutidos de forma apaixonada por constitucionalistas, políticos e comentadores.
São tantas as convenções derrubadas, que a decisão presidencial será lida por muitos e bons anos e ensinada em todas as Faculdades de Direito
Não é preciso ser adivinho para saber que a atual situação vai ser debatida por muitos anos. São tantas as convenções derrubadas e postas em causa, que a decisão presidencial será lida por muitos e bons anos e ensinada em todas as Faculdades de Direito.
É por isso que, apesar todos querermos saber qual é a decisão, o Presidente deve levar o tempo que precisar. Deve manter a agenda que entender e ouvir quem precisar. A decisão final, qualquer que seja, será um dos atos mais difíceis da sua gestão e da nossa democracia. Mais uns dias ou menos uns dias fazem pouca diferença para a importância do momento. É a vida. E a vida leva o seu tempo.
Enviar um comentário