O Presépio na Cidade e no Mundo

Sofia Costa Guedes

Nunca como hoje o Presépio na Cidade é fundamental na nossa cidade para dar a conhecer claramente  aos homens, mulheres e crianças,  a maior e mais bela mensagem de Deus ao mundo e  que é:  “Todos os homens verão a salvação de Deus” (Lc2,6) .
Portugal, este país à beira mar plantado,  tem no seu coração, na sua identidade a marca da Cruz e Ressurreição de Cristo.  Aqui há muitas igrejas, famílias e lugares, mãos que não se cansam de dedilhar ,  Pai-Nossos, Ave- Marias e Glórias.
Aguentamos terramotos, “invasões”, revoluções,  Governos comunistas, ideologias anti-humanas, leis terríveis, mas somos sustentados por “muitos”, que sendo poucos sustentam a dignidade de um povo. 
Sabemos Quem já venceu, mas também sabemos que o sofrimento, a dor e injustiça fazem parte do ser humano e embora portugueses, somos humanos.
O terrorismo e todas as formas de guerra são atentados contra o homem . E em Portugal particularmente é  bom reconhecer que apesar das leis que se avizinham, propostas e promovidas pelos partidos ditos de esquerda, e  que nos querem matar como povo, cidadãos ou simples indivíduos, sabemos que todo o sangue  inocente derramado, não se perde, mas serve como nos revelou  Lúcia no Segredo de Fátima, para encher os vasos de cristal que junto à Cruz de Jesus,  segurados por dois anjos. É o sangue dos mártires que se une ao sangue de Cristo!  Sangue que vai sendo derramado na sementeiras de santos, do nosso País e em todo o mundo. 
Estamos a viver um Inverno, que parece dormir, mas no silencio está-se a gerar santidade por todos os lados!  Esta Esperança é uma certeza!!!
Por isso e por muito mais, venham ao Presépio na Cidade que vai estar  junto à Basílica dos Mártires, de portas abertas para a rua, sem medo, nem respeitos humanos, para ser um ponto de união e de luz nesta cidade que parece escurecer... um lugar para serenamente e com convicção rezarmos por todo o mundo e por Portugal. 
De 8 a 22 de Dezembro, das 14:00 às 19:00.
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Sou mãe de um forcado. E agora?

Suécia persegue parteiras que se negam a praticar abortos

Gomes-Pedro: “A mãe não precisa de descansar e dormir, precisa é de namorar com o seu bebé”