terça-feira, 18 de outubro de 2016

Um Santo que fixou o meu nome



LUÍSA FONSECA  PEREGRINA 2016

Não nos conhecemos mas desejo profundamente que a partida do seu pai continue a ser uma enorme manifestação de Fé e do Amor de Jesus e Maria como tenho sabido que foi também a sua vida.

Conheci o Pedro faz hoje três semanas na reunião que precedeu a Peregrinação a Fátima.
As suas palavras sobre as intenções de Nossa Senhora para cada um de nós e que já foram referidas por várias pessoas, tocaram-me muito e guardo-as no meu coração.
Na Peregrinação via o Pedro nas paragens em que nos juntávamos todos e no carro de apoio. Houve contudo um pequeno episódio que gostaria de relatar.
Saí da Portela com meia garrafa de água com medo de vir a ter sede até que os carros de apoio distribuíssem mais. Que preocupação tão básica!
Depois de acabar a água  estávamos parados, não posso precisar onde, fui ao carro do Pedro e peguei numa garrafa.
- Ah não há mais pequena? Pesa um bocadinho mas levo esta…. - disse com ar pesaroso, insegura com todos os pequenos pormenores - o peso a transportar, a sede ou fa fome!
Com  grande serenidade disse o Pedro:
-Mas espere .Despejamos metade da água para a sua garrafa e eu guardo aqui o resto para depois. Como se chama? Perguntou enquanto despejava a água e guardava a outra garrafa.
- Luisa - disse eu.
Luísa, já não me vou esquecer.
E lá fui eu contente com a meia garrafa de água.
Não se proporcionou que voltasse ao carro do Pedro e fui levando água do outro carro.
Numa outra paragem o Pedro disse-me:
-Olhe já bebi a sua água.
E eu respondi : Ainda bem, assim não se desperdiçou!
E lá segui levando comigo um pouco da Paz que o Pedro distribuía!.
No dia 10 o Pe Bernardo caminhava conosco e ía confessando/falando com  quem quizesse.  Eu pedi logo à Teresa P para  falar com ele.
Esperei todo o dia. Impacientava-ve por o Sr Pe não me chamar. Quase fazia birra. A Teresa dizia: Tens de ter paciência , o Senhor é que sabe quando é a tua vez. Aprende a ser paciente.
Nesse dia, à hora de jantar o Sr Padre disse :-Amanhã vai ser a Luísa.
No dia seguinte quando nos foi dada a notícia da partida do Pedro todos se perguntavam: Que Pedro? Longe de imaginarmos que era o nosso companheiro de Peregrinação!
Senti-me frágil. Algumas horas antes estava connosco e agora… A vulnerabilidade da vida humana desabava sobre mim.
Além disso quando alguém parte assim as minhas perdas anteriores voltam a vir à tona como se voltasse no tempo. Entretanto começámos a caminhar e saí a falar com o Pe Bernardo. Que melhor momento para a minha confissão! Foi uma maneira de me apaziguar e caminhar com muita Fé! No momento que mais precisei foi quando aconteceu!
Como é bom saber que tive a Graça de conhecer um Santo e que inclusivamente fixou o meu nome. Esspero que se lembre de  mim  no Céu!
Tenho vindo a pedir-lhe a sua intercessão na minha vida!
Peço desculpa pois não tenho muito jeito para escrever!
Que a Luz de Cristo ilumine os vossos corações!

Enviar um comentário