Ricardo

Na noite de sábado passado fomos ao velório de uma criança da Ajuda de Berço que morrera no dia anterior.
O Ricardo era uma criança com 3 anos muito doente com sérias limitações desde o nascimento provocadas pelos efeitos da droga de que a sua mãe era dependente.
Foi acolhido na Ajuda de Berço onde viveu até há uns meses quando a sua saúde obrigou a internamento hospitalar. Morreu no dia 24 de Fevereiro no Hospital de Santa Maria.
Somos amigos da Ajuda de Berço e das suas directoras e quisemos fazer-lhes companhia neste momento difícil.
Todas as funcionárias que tratavam das crianças na casa onde o Ricardo viveu estes anos estavam lá como se fossem da sua família próxima.
Um dos médicos do serviço de cuidados intensivos onde ele esteve nas últimas semanas tinha passado pela capela mortuária à tarde e lá tinha ficado um tempo em silêncio a prestar a sua homenagem!
Que efeito é este que uma criança, que não consegue fazer nada, causa nos outros à sua volta?
Nem sequer é capaz de agradecer quando cuidam dela, excepto com o sorriso transparente que se pode ver na fotografia.
À tarde tínhamos ouvido esta frase do Beato Cardeal Newman:“... a atracção exercida pela santidade inconsciente é de uma natureza urgente e irresistível
E a santidade é esta proximidade com Deus que mais facilmente se encontra nos simples e nos pobres em espírito e não é, como errada e impulsivamente pensamos, fruto do nosso esforço por mais virtuoso que seja.
Há uns dias o Povopublicou o artigo Deus não é para o bico da ciência em que, referindo-se a Anthony Flew, o cientista ateu militante que se converteu perante o Big Bang que considerou a prova científica da existência de Deus, Henrique Raposo diz que Deus não é para o bico da Ciência porque “Deus não se esconde na relação gravitacional entre planetas, mas na relação moral entre homens. Deus é um salto de fé ético e não uma descoberta com tubos de ensaio”.
Esta atractividade da vida do Ricardo e de outras crianças como ele, totalmente dependentes e totalmente agradecidas pelo amor que se lhes dá são instrumentos que, muitas vezes, facilitam o salto de fé capaz de reconhecer Deus na Sua misteriosa relação com as criaturas.
Por isso, à Ajuda de Berço que corresponde todos os dias ao conselho de S. Paulo “ Não esqueceis a hospitalidade, pois, graças a ela, alguns, sem o saberem, hospedaram anjos” deixo o meu muito obrigado. Bem haja!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Se eu fosse filmado secretamente...

16 de Julho - Nossa Senhora do Carmo

A família, espaço de resistência