O único dom

DESTAK | 09 | 04 | 2009 08.08H

João César das neves


Deus nunca dá nada. Falamos

muitas vezes dos dons de Deus mas, se pensarmos bem, vemos que Deus nada dá. Deus empresta sempre.

O maior dom de Deus é a nossa vida, que poderemos gozar durante alguns anos, mas que no fim temos de devolver ao dono e ficar sem ela. Isto, qualquer que seja a forma como o consideremos, nunca pode ser chamada uma dádiva, mas um empréstimo. O nosso corpo, inteligência, dotes naturais, tudo isso vai tendo de ser entregue.

Consideramos com pena alguns idosos, que foram pessoas extraordinárias, e agora se encontram muito limitados, porque foram devolvendo o que eram a quem lho deu. A natureza, o mundo, a beleza, a riqueza, a paz, todas as coisas que Deus dá, acabamos por deixar.

A razão disto é evidente: nós estragamos aquilo que Deus nos dá. Fomos feitos livres e usamos mal essa liberdade. Se Deus não exigisse os seus dons de volta, tudo seria destruído. Até aquelas coisas que Deus tinha previsto dar-nos para sempre, como a nossa liberdade e a nossa alma eternas, até essas perdemos definitivamente pelo pecado. Por isso, em todo o universo há apenas uma coisa que Ele nos deu definitivamente.

Deus emprestou-nos a coisa mais preciosa que tinha, o Seu Filho. E nós, como a tudo o resto, estragámo-lo. Mas o Pai ressuscitou o Verbo encarnado e deu-no-lo de novo, desta vez de uma forma que não podemos estragar. Agora temos Cristo connosco para sempre. E com Ele recebemos todos os outros dons que perdêramos, a vida, a liberdade, a alma, a felicidade. É este único dom o que celebramos nestes dias da Páscoa.

João César das Neves | naohaalmocosgratis@fcee.ucp.pt

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Se eu fosse filmado secretamente...

16 de Julho - Nossa Senhora do Carmo

A família, espaço de resistência