O amor levado ao extremo

«Tornar Deus presente neste mundo e abrir aos homens o acesso a Deus, (...) cujo rosto reconhecemos no amor levado ao extremo», escreve o Papa Bento XVI na carta recente enviada aos bispos a propósitos dos "integristas". Tirei-a de um artigo de António Marujo no Público, todo ele dedicado a um alegado Papa sozinho e vergado a um suposto "calvário" com várias "estações". O "tom" geral da coisa é dado logo na abertura da prosa. «De repente, a liderança da Igreja Católica aparenta fragilidade, entre decisões solitárias do Papa e maus conselhos que ele andará a receber. Em 2006, muçulmanos vêm para a rua protestar contra Bento XVI.
continuar a ler aqui

Um excelente post de João Gonçalves n'O Portugal dos Pequeninos http://portugaldospequeninos.blogspot.com

Comentários

Mensagens populares deste blogue

16 de Julho - Nossa Senhora do Carmo

A família, espaço de resistência

Se eu fosse filmado secretamente...