26 Out: A César o que é de César


«Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.» 
(Mateus 22, Marcos 12, Lucas 20)


Um grupo de amigos, onde se incluem alguns membros deste POVO, foram este fim-de-semana a Oliveira do Hospital. No Domingo, este evangelho que desafia tanto a nossa maneira de viver, foi meditado de forma simples e elucidativa: As coisas que se perderam no fogo eram de César, mas o que permanece, cresce e amadurece é de Deus: o coração.

"...no silêncio e no anonimato têm trabalhado voluntariamente junto das populações. (...) Por isso digo que temos futuro. Porque os políticos passam, graças a Deus, mas o povo fica (...) o povo português tem coração, tem amor para dar."  Ler TEMOS FUTURO

Conta um voluntário: "Pedi para desejar sempre um coração disponível pois não sabia o que ia encontrar nem o que me iriam pedir para fazer. Esta disponibilidade de coração foi-se tornando cada vez mais concreta dando pequenos passos de consciência que se tornaram concretos no impacto com a realidade que encontrei."  Ler Somos úteis se temos o coração disponível para a conversão.


POSTS + RECENTES


40 DIAS PELA VIDA
Procuramos voluntários para a Campanha Mundial de Oração dos 40 dias pela Vida 2017à porta da Clínica dos Arcos, de 27de Setembro a 5 de NovembroÉ simples: escolha um bloco de 1 hora para estar à porta da Clínica e compareça. Vão estar lá outros voluntários. Pode rezar (sim, de preferência rezar) e velar. Estas campanhas viram várias clínicas encerrarem e muitas mães alegrarem-se com o sorriso dos filhos. Saiba mais em http://www.40diaspelavida.org

CAMINHADA PELA VIDA
No próximo dia 4 de Novembro, caminharemos pela VIDA aqui em Lisboa. Porque hoje mais do que na semana passada, reconhecemos agradecidos estas vozes que não cessam de dizer que Toda a Vida tem Dignidade, mesmo quando não calha bem. Seguem dois artigos destas vozes que não mudam ao sabor do vento. 
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16 de Julho - Nossa Senhora do Carmo

A família, espaço de resistência

Sou mãe de um forcado. E agora?