26 Out: A César o que é de César


«Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.» 
(Mateus 22, Marcos 12, Lucas 20)


Um grupo de amigos, onde se incluem alguns membros deste POVO, foram este fim-de-semana a Oliveira do Hospital. No Domingo, este evangelho que desafia tanto a nossa maneira de viver, foi meditado de forma simples e elucidativa: As coisas que se perderam no fogo eram de César, mas o que permanece, cresce e amadurece é de Deus: o coração.

"...no silêncio e no anonimato têm trabalhado voluntariamente junto das populações. (...) Por isso digo que temos futuro. Porque os políticos passam, graças a Deus, mas o povo fica (...) o povo português tem coração, tem amor para dar."  Ler TEMOS FUTURO

Conta um voluntário: "Pedi para desejar sempre um coração disponível pois não sabia o que ia encontrar nem o que me iriam pedir para fazer. Esta disponibilidade de coração foi-se tornando cada vez mais concreta dando pequenos passos de consciência que se tornaram concretos no impacto com a realidade que encontrei."  Ler Somos úteis se temos o coração disponível para a conversão.


POSTS + RECENTES


40 DIAS PELA VIDA
Procuramos voluntários para a Campanha Mundial de Oração dos 40 dias pela Vida 2017à porta da Clínica dos Arcos, de 27de Setembro a 5 de NovembroÉ simples: escolha um bloco de 1 hora para estar à porta da Clínica e compareça. Vão estar lá outros voluntários. Pode rezar (sim, de preferência rezar) e velar. Estas campanhas viram várias clínicas encerrarem e muitas mães alegrarem-se com o sorriso dos filhos. Saiba mais em http://www.40diaspelavida.org

CAMINHADA PELA VIDA
No próximo dia 4 de Novembro, caminharemos pela VIDA aqui em Lisboa. Porque hoje mais do que na semana passada, reconhecemos agradecidos estas vozes que não cessam de dizer que Toda a Vida tem Dignidade, mesmo quando não calha bem. Seguem dois artigos destas vozes que não mudam ao sabor do vento. 
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Sou mãe de um forcado. E agora?

16 de Julho - Nossa Senhora do Carmo

A família, espaço de resistência