quinta-feira, 29 de junho de 2017

Máquinas que mantêm bebé Charlie vivo vão ser desligadas esta sexta-feira

DN     29.06.17

Pais pretendiam levar a criança para casa, mas não foi permitido pelos médicos.

As máquinas que mantêm vivo o bebé Charlie Gard, que sofre de uma doença rara e sem cura, vão ser desligadas esta sexta-feira.

Depois de perderem, no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, a luta para conseguirem levar o seu filho para os EUA, para um tratamento experimental, os pais, Connie Yates e Chris Gard, usaram as redes sociais para dar a notícia e dizerem que estão a passar as "últimas horas" com Charlie.
De acordo com o Daily Mail, os pais pretendiam levar Charlie para casa, o que foi negado pelos médicos.

"Prometemos ao nosso pequeno rapaz que o iríamos levar para casa", afirmou Connie.
"Queríamos dar-lhe um banho, em casa, colocá-lo num berço onde ele nunca dormiu e vimos isso ser negado. Sabemos em que dia o nosso filho vai morrer e não temos uma palavra no que vai acontecer", acrescentou Chris Gard.
No Facebook, os pais confessam estar "de coração partido" e a passar "as últimas preciosas horas" com o filho. "Não nos permitem escolher se o nosso filho vive, nem escolher quando e onde o Charlie morre", pode ler-se também.

"Charlie vai morrer amanhã [sexta-feira] sabendo que foi amado por milhares... obrigado a todos", escreveram Connie e Chris.
Todo o dinheiro angariado para que Charlie pudesse receber tratamento nos EUA, cerca de 1.5 milhões de euros, vai ser usado para fundar uma associação com o seu nome para ajudar crianças que sofram da mesma condição rara.
Enviar um comentário