Missão País: «Uma graça imensa da beleza e da juventude da Igreja» – D. José Cordeiro

Bispo de Bragança-Miranda esteve com 50 universitários em missão na diocese



















Torre de Moncorvo, 12 fev 2018 (Ecclesia) – O bispo de Bragança-Miranda testemunhou “a fé, o voluntariado gratuito, o desprendimento e a alegria da Paz” que 50 estudantes universitários da Faculdade de Engenharia, do Porto, viveram até este domingo, em Torre de Moncorvo.
D. José Cordeiro teve a “felicidade” de estar com os jovens estudantes na vigília de oração da Missão País e sentiu “o dinamismo da alegria do encontro com Jesus Cristo”.
“No envio convidei-os a que sejam autênticos discípulos missionários de Cristo na sociedade atual. A luz e a paz que experienciaram seja continuada no caminho da vida ao serviço do Bem Comum e da dignidade da Pessoa Humana”, contou em declarações à Agência ECCLESIA.
Para Isabel Figueiredo, uma das coordenadoras da Missão País 2018 em Torre de Moncorvo, a presença do bispo de Bragança-Miranda “foi uma honra”.
“Foram muito importantes para nós as suas palavras de acolhimento e envio, a sua visita deu força e segurança a todo o grupo. O seu reforço positivo deu-nos alento e energia para continuar a missão”, acrescenta a jovem de 22 anos
‘A paz esteja em tua casa’ é o lema da Missão País 2018 e D. José Cordeiro realça que os ecos das pessoas “são muito positivos”, especialmente da visita às famílias, e a “experiência diária de oração e felicidade do encontro”.
“Estes jovens deram a cara pela Igreja na evangelização”, assinala o prelado destacando a “graça imensa da beleza e da juventude da Igreja”.
Para o bispo de Bragança-Miranda “é fantástico” o testemunho de “voluntariado gratuito, o desprendimento e a alegria da Paz” dos jovens em Torre de Moncorvo, na Unidade Pastoral de S. José.
“Alegro-me com a hospitalidade da UP S. José, do Município, de tantas pessoas e instituições”, acrescentou o prelado.
Segundo Isabel Figueiredo, o lema “impele” a levar a paz ao coração de cada habitante de Moncorvo e, neste contexto, constata que “só é possível levar a paz” se estiverem em paz, havendo, portanto, também uma vertente pessoal que “convida a encontrar a paz dentro de cada missionário”.
“Sem o tão forte empenho da comunidade e a sua grande adesão não teria corrido tão bem como correu”, comentou. 
A coordenadora explicou que apesar de ter sido o segundo ano da Missão País em Moncorvo a comunidade “não quis deixar de surpreender”, acolhendo com “ainda mais carinho e curiosidade”.
“Isso refletiu-se na sua presença nas atividades que fizemos com a comunidade e na forma ativa como queriam participar e ajudar na preparação das mesmas. No fim, recebemos mais do que demos, fomos para espalhar a paz e recebemo-la da comunidade de Moncorvo”, afirmou.
Durante uma semana, que terminou este domingo, os 50 estudantes da Faculdade de Engenharia divulgaram o projeto na escola e incentivaram os jovens a participar nas atividades, estiveram, ainda, “presentes e a animar” vários lares em Moncorvo e nas aldeias à volta, o centro de dia, a creche e fizeram visitas porta-a-porta onde também ajudaram no que fosse preciso.
Isabel Figueiredo está no 5.º ano do Mestrado integrado de Engenharia Mecânica e já participou em quatro Missões País, sendo esta a primeira como responsável por um grupo.
“Quando se é coordenador a missão passa a ser não só servir a comunidade como servir os missionários”, revela, destacando que a FEUP – Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto teve duas missões onde participaram cerca de 100 estudantes, 50 em cada grupo.
A estudante de engenharia considera que esta iniciativa de voluntariado universitário católico “faz todo o sentido na formação de um cristão católico”, sendo uma oportunidade para juntar a comunidade católica da faculdade e viver uma experiência de fé juntos.
Isabel Figueiredo sublinha que a ‘Missão País’ é de “grande importância” para todos que participam, sejam os jovens que “encontram nesta semana um sentido para empregarem o seu tempo livre”, como a população visitada que no “ânimo e bondade” vê alguém que “realmente se preocupa com os mais carenciados”.
Segundo a coordenadora, a FEUP – Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto “é a primeira faculdade do norte” a ter duas missões onde participaram cerca de 100 estudantes, 50 em cada grupo.
A ‘Missão País’ começou em 2003, com 20 jovens missionários universitários pelo Movimento Apostólico de Schoenstatt e, em 2015, foram já 1800 os missionários organizados em 35 missões realizadas a nível nacional.
Desde 2003 já se realizaram 154 missões, indicam dados de 2017 da Comissão Episcopal Laicado e Família.
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16 de Julho - Nossa Senhora do Carmo

A família, espaço de resistência

Sou mãe de um forcado. E agora?