Tempos difíceis

Raquel Abecasis

RR on-line 28-12-2009 10:10

Na despedida de 2009, resta esperar que o próximo ano traga, pelo menos, mais bom senso e juízo à classe política portuguesa que, bem ou mal, tem por função governar o país.

Espera-se que o Primeiro-ministro pare para pensar e desista de encenar uma crise política que ninguém quer.

Espera-se que o Presidente se assuma como tal, imponha respeito ao Primeiro-ministro e lhe diga que foi para governar que lhe deu posse.

Finalmente, espera-se que o principal partido da oposição acabe com um longo processo de auto-destruição em praça pública e possa, no próximo ano, começar um caminho que lhe permita estar presente de corpo inteiro em próximos actos eleitorais.

O que todos desejamos em 2010 é que os nossos políticos demonstrem o que valem, porque é nas horas difíceis que se distinguem os estadistas dos outros.

E é de estadistas que precisamos agora.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

OS JOVENS DE HOJE segundo Sócrates

16 de Julho - Nossa Senhora do Carmo

A família, espaço de resistência