O papa aos médicos: O aborto é um problema científico

A cultura do descarte também leva a uma eutanásia oculta, acrescenta Francisco
Por Sergio Mora
CIDADE DO VATICANO, 17 de Novembro de 2014 (Zenit.org) - O papa Francisco recebeu em audiência neste sábado a Associação de Médicos Católicos Italianos, que celebram os seus 70 anos de fundação.
Após destacar os indubitáveis progressos científicos e técnicos atuais, que aumentam as curas físicas, o papa observou que há "outros aspectos que parecem diminuir a capacidade de se assumir o cuidado da pessoa, particularmente se ela está sofrendo, é frágil ou indefesa".
"Estamos vivendo um tempo em que se experimenta mal com a vida, em que se fazem filhos em vez de acolhê-los como um dom, em que se brinca com a vida. Tomem cuidado. Isto é um pecado contra o Criador, contra o Deus Criador que fez as coisas assim".
"Quantas vezes, na minha vida de sacerdote, escutei objeções: 'Por que a Igreja se opõe ao aborto?', por exemplo. É um problema religioso? É um problema filosófico? Não, não é um problema filosófico, é um problema científico, porque ali há uma vida humana e não é lícito eliminar uma vida humana para resolver um problema", afirmou aos médicos presentes, reunidos na Sala Paulo VI.
"Ah, mas o pensamento moderno... Esperem um pouco! No pensamento antigo e no pensamento moderno, assassinar significa a mesma coisa!".
"O mesmo vale para a eutanásia, e todos sabemos que, com muitos idosos, nesta cultura do descarte, é praticada uma eutanásia escondida. Pecado contra Deus Criador. Reflitam bem sobre isto".
"Que os 70 anos da vida da sua associação estimulem um novo caminho de crescimento e de maturidade. Que vocês possam colaborar de maneira positiva com todas as instituições que compartilham com vocês do amor à vida e que trabalham para servi-la na sua dignidade, sacralidade e inviolabilidade".
Francisco encerrou o seu discurso recordando uma frase de São Camilo de Lellis, que, para cuidar melhor dos doentes, dizia aos médicos: "Coloquem mais coração nessas mãos".
O papa pediu ainda que "a Virgem Santíssima, a Salus Infirmorum [Saúde dos enfermos], dê sustento ao propósito com que vocês vão prosseguir no seu trabalho. Por favor, peço que rezem por mim e, de coração, os abençoo. Obrigado".

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tentar perceber

Uma companhia criativa