Mais de dez mil crianças do ensino privado não têm acesso ao cheque-dentista


JORNAL ECONÓMICO       04.01.2018



Apesar do carácter universal deste benefício, a Entidade Reguladora da Saúde indica que há falta de equidade no acesso aos cuidados de saúde, mesmo nos casos em que as crianças e jovens sejam carenciados e possuam bolsa de estudo.


A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) alerta que mais de dez mil crianças estão a ser excluídas do programa cheque-dentista por frequentarem escolas privadas. A alegada falta de equidade no acesso aos cuidados de saúde existe mesmo nos casos em que as crianças e jovens sejam carenciados e possuam bolsas para frequentar os colégios, avança o ‘Jornal de Notícias’.

“Há uma discriminação inaceitável de quem faz a sua opção pelo ensino particular”, afirma o diretor da Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo, Rodrigo Queiroz e Melo, lembrando que das dez mil crianças sem acesso ao cheque-dentista, cerca de mil têm dificuldades económicas.


Apesar do carácter universal deste benefício, o Ministério da Saúde explica ao ‘JN’ que tem vindo a privilegiar as crianças das escolas públicas e das instituições particulares de solidariedade social (IPSS) por serem “os casos mais vulneráveis e com mais impacto clínico”.

Em 2017, foram realizadas mais de 71 mil consultas de medicina dentária nos centros de saúde, beneficiando cerca de 40 mil crianças e jovens.
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Sou mãe de um forcado. E agora?

Gomes-Pedro: “A mãe não precisa de descansar e dormir, precisa é de namorar com o seu bebé”