40 dias pela vida

PLATAFORMA 40 DIAS PELA VIDA    25.03.17

Ontem esteve o dia todo preenchido com 11 estudantes da universidade Católica.
Um dos voluntários deixou-nos este testemunho

"Hoje a Igreja celebra a solenidade da anunciação. Hoje a mãe de Jesus, que é a nossa mãe, ficou grávida. Não era rica, não tinha televisão, frigorífico, carro, telemóvel, a casa provavelmente não seria um palácio, não havia água quente, a comida seria escassa, não havia wi-fi nem ecografias nem epidural, era adolescente e não tinha uma carreira.. quando soube que ia ser mãe, o marido até pensou repudia-la! Enfim, hoje diríamos que nao tinha "condições mínimas" para poder ser mãe. Mas, não só disse sim quando lhe perguntaram se queria ser mãe de Deus, como amou o seu Filho como nunca nenhuma outra mãe há-de amar o seu filho e o Filho amou-a como nunca nenhum outro filho há-de amar a sua mãe. Como Maria, tantas mães há que são amadas por Deus e queridas mesmo nas suas dificuldades.
Porque é que Maria disse "fiat", faça-se, e tantas mães dizem "não"? 
Porque so está em paz aquele que descansa em Deus, aquele que se abandona na Sua misericórdia e, assim, sabe não estar só. Quando não temos isto presente, facilmente entramos em pânico ao pensar que sozinhos vamos ter de resolver todos os nosso problemas o que é naturalmente impossível. No dia em que Nossa Senhora disse "faca-se em mim segundo a Vossa palavra" rezamos ao Pai por intercessão de Maria, para que as mães deste mundo sejam tocadas pelo amor de Deus e saibam dizer sim aqueles que trazem dentro de si, que pelo baptismo se tornarão, também eles, filhos de Deus."

Amanhã segunda feira precisamos voluntários das 13 ás 17 e terça feira das 14h ás 15h. Inscriçõe sff www.40diaspelavida.org
Tanto amanhã como terça feira teremos dois Sacerdotes (um cada dia) a celebrar Missa ás 13h na casa das Mãos erguidas. São todos bem vindos


Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Sou mãe de um forcado. E agora?

O grande educador sexual

Suécia persegue parteiras que se negam a praticar abortos