Nossa Senhora na História de Portugal

“Gostei muito deste livro, gostava que todas as crianças de Portugal o lessem para aprenderem a amar cada vez mais Nossa Senhora”.
Irmã Lúcia (Vidente de Fátima)

Alguns autores estreantes na escrita para crianças, como D.Luiz Flávio Cáppio, Bispo da Barra, a jornalista Aura Miguel, o Professor João César das Neves e SS.AA.RR. os Duques de Bragança, juntaram-se a nomes grandes da literatura infantil, como Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, e Maria Teresa Maia Gonzalez, num inovador projecto que envolveu quinze autores, quinze museus lisboetas e quinze instituições de solidariedade social.
O livro de contos “Nossa Senhora na História de Portugal”, com introdução do Prof. Dr. Joaquim Veríssimo Serrão, Presidente da Academia Portuguesa de História, foi apresentado no Museu dos Coches, em Lisboa, pelo Bispo Auxiliar de Lisboa, D.Manuel Clemente.

NOSSA SENHORA NA HISTÓRIA DE PORTUGAL
Coordenação de Thereza Ameal
Autores – Aires de Campos, Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, Ângela Sarmento, António O. Bettencourt , Aura Miguel, D.Duarte de Bragança, Inês Dentinho, D.Isabel de Bragança, João César das Neves, D.Luiz Flávio Cappio Bispo da Barra, Madalena Fontoura, Maria João da Câmara, Maria Reis, Maria Teresa Maia Gonzalez, Thereza Ameal
Introdução: Joaquim Veríssimo Serrão (Presidente da Academia Portuguesa de História)
LUCERNA/PATRIS DATA DE PUBLICAÇÃO – 21 DE ABRIL DE 2005
PREÇO - €12,45 . 120 págs . ISBN – 972-8835-10-8 . Dimensão – 20x20 cm

“Numa prosa límpida, pela mestria pedagógica e beleza de estilo, os autores deste livro recordam a multissecular comunhão entre a formação de Portugal e os valores eternos do Cristianismo. Não pode a divulgação da História erguer-se sem o apelo aos valores do espírito.”
Joaquim Veríssimo Serrão in Prefácio


A presença de Nossa Senhora na História de Portugal ultrapassa muito o episódico ou acessório. De facto, somos “terra de Santa Maria”, por razões de berço e de alma. Nascidos num território que também se chamava assim, nunca mais houve época ou circunstância nacionais que não encontrassem na relação com a Mãe de Jesus Cristo alguma origem ou interpretação. De Cárquere e Alcobaça, para a primeira dinastia; da Batalha e do Carmo para a segunda; da Atalaia e da Conceição para a Restauração; da Rocha, do Sameiro, ou de Fátima para a época contemporânea… Além destas, outras invocações marianas se juntariam, infindas. Tão infindas como a alma portuguesa, que os contos deste livro ajudam a revelar. Como de novo precisamos.

D. Manuel Clemente

Comentários

Michael disse…
Desculpe me. Sou Ingles e não falam Português. I do love Our Blessed Mother and I love Lisboa and Fatima. I visit Fátima when I can do so. The book looks really interesting. As I love to read about Mary perhaps it will help my Portuguese.

Mensagens populares deste blogue

16 de Julho - Nossa Senhora do Carmo

A família, espaço de resistência

Se eu fosse filmado secretamente...